João Azevêdo deve decidir futuro partido até o Natal, diz líder do governo

Líder do governo na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), o deputado Ricardo Barbosa (PSB) falou sobre o futuro partidário do governador João Azevêdo e comentou sobre a posição dos deputados do PSB, após a saída do Chefe do Executivo do partido socialista.

De acordo com o parlamentar, João tem recebido muitos convites, mas está avaliando as conjunturas políticas e até o Natal, deve decidir para qual partido irá. Ele também enfatizou que seguirá o governador.

“Conversei com o governador João. São dezenas de partidos o procurando, oferecendo o comando partidário e ele está fazendo uma leitura e avaliação de todos os convites para um futuro próximo e antes do Natal, deve anunciar sua decisão e eu o seguirei. Pelo menos informalmente, porque deputado federal não pode deixar o partido sob pena de incorrer em infidelidade partidária. O governador não nos adiantou para qual sigla vai. Ele disse que ainda não tomou a decisão”, destacou.

O deputado comentou o posicionamento dos parlamentares que continuam no PSB. Ricardo Barbosa afirmou que Buba Germano e Jeová Campos expressaram o desejo de continuar na base aliada, mas querem também continuar no partido.

“Conversei com o deputado Buba Germano demoradamente e mais rapidamente com o deputado Jeová, que manifestam o desejo de continuar na base aliada, mas manifestam igualmente o desejo de continuar no PSB e não sei como será recepcionado lá no PSB. Mas o manifesto deles para mim é que continuam seguindo a base, integrando-a, sem deixar o Partido Socialista Brasileiro”, afirmou.

Ricardo Barbosa também rebateu as declarações do ex-governador, Ricardo Coutinho (PSB) sobre as obras que estão sendo entregues pelo governador João Azevêdo. Ele destacou que o Estado “não foi criado e não se acaba” com o ex-governador, que as obras são da Paraíba e estão se aperfeiçoando com a atual gestão.

“Ele é ex-governador e o Estado não foi criado e não se acaba com ele. As obras são da Paraíba, protagonizadas pelo governo que a Paraíba escolheu. Lá atrás foi ele, agora é João e ele está tocando com maestria. As obras se aperfeiçoam na versão João”, pontuou.

Comente