João Almeida explica imbróglio sobre abdicação de salário como vereador de JP

"Tenho 16 anos de mandato, 70% do mandato não recebi os dois salários", afirmou o vereador em contato com a reportagem do Paraíba Já

O vereador João Almeida (Solidariedade), em contato com o Paraíba Já, explicou sobre o imbróglio envolvendo uma suposta economia de R$ 2 milhões ao erário público ocasionado pela abdicação de seu salário enquanto parlamentar de João Pessoa. Almeida explicou que aconteceu um mal entendido e sua assessoria repercutiu um levantamento de um blog local.

+ Entenda: Vereador afirma que abriu mão dos salários, mas valores foram pagos pela CMJP

“Foram fazer levantamento para fazer matéria, para pressionar os políticos daqui, e foram ver no Sagres que não recebo salário de vereador, e já há muito tempo. Tenho 16 anos de mandato, 70% do mandato não recebi os dois [salários]. Em alguns períodos do mandato, na última legislativa quase toda, [abdiquei]”, afirmou o vereador.

Ele comentou que as Assembleia de alguns estados como Rio de Janeiro e São Paulo reduziram salários durante a pandemia. “Aqui também [na Assembleia] reduziu um pedaço, os políticos estão tomando a iniciativa de cortar na própria carne, durante esta pandemia”, frisou.

“De lá para cá tenho quase 16 anos de mandato, é claro que em alguns anos, parte desse mandato, cheguei a acumular, porque é legal. Eu sou o único do Brasil, vereador de Capital, que faz isso. Já fui convocado para atuar na PRF, de forma administrativa, me desdobrei nos dois, e recebi”, disse Almeida. Depois disso, ele decidiu abdicar do salário e hoje não recebe mais as duas remunerações.

O parlamentar reconheceu que a economia gerada pela sua abnegação para com o salário da Câmara Municipal não foi R$ 2 milhões, mas negou que tenha feito de forma intencional. João Almeida explicou que aproximadamente R$ 1,2 milhão deve ter sido economizado com sua rejeição ao salário de vereador.

Comente