Impostos de importação de compras acima de US$ 50 desencorajam consumidores

Dados são do levantamento da consultoria Plano CDE, feito a pedido do Grupo Alibaba, dono do AliExpress

Quase 66% dos consumidores desistiram de compras importadas acima de US$ 50 (cerca de R$ 250 na cotação atual), aponta levantamento da consultoria Plano CDE. Os consumidores foram desencorajados pelos impostos que incidem em compras acima deste valor devido ao programa Remessa Conforme.

A pesquisa, feita a pedido do Grupo Alibaba, dono do AliExpress e outros e-commerces, mostra que os clientes não finalizaram a compra após o cálculo dos impostos e que 75% deles são contra o aumento de taxas em plataformas internacionais.

Na opinião de 87% dos entrevistados, a melhor forma de nivelar o mercado nacional e internacional seria reduzir as taxas dos produtos nacionais, e não aumentar o imposto dos importados. Segundo eles, o preço atrativo é o principal motivo para recorrer às plataformas internacionais.

Recentemente, a taxação de compras internacionais voltou a ser discutida pelo governo federal. Representantes do mercado nacional pressionam as autoridades para derrubar a isenção, enquanto um relatório do Ministério da Fazenda recomendou que a cota deve ser mantida, para que seja avaliado melhor o impacto do Remessa Conforme.

O levantamento encomendado pela dona do AliExpress mostrou que três meses antes da pesquisa, 94% dos ouvidos haviam feito compras pela internet. Deste montante, 44% deles adquiriram em lojas do exterior.

O que é o Remessa Conforme?

O Remessa Conforme é um programa da Receita Federal com a proposta de acelerar as entregas de produtos importados e evitar a sonegação de impostos. A iniciativa isenta compras de até US$ 50 de tributos de importação, incidindo somente ICMS (17% para todo o país).

Acima desse valor, é cobrado o imposto de importação de 60%, mais ICMS (17%) sobre o valor total.

Contudo, o programa só está disponível em plataformas internacionais voluntárias — AliExpress, Shopee, Shein e Mercado Livre, entre outras.

Do TecMundo