Haddad se reúne com Lira antes de votação da PEC da Transição na Câmara

Já confirmado pelo presidente eleito Lula (PT) como futuro ministro da Fazenda, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad se reuniu nesta terça-feira (20) com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).

O encontro, na residência oficial da Câmara, aconteceu no mesmo dia em que está prevista a votação pela Câmara da Proposta de Emenda à Constituição conhecida como PEC da Transição.

A expectativa é que, também nesta terça, Haddad tenha uma reunião com o presidente eleito Lula.

Votação x decisão de Gilmar

Segundo o futuro ministro da Fazenda, o governo eleito seguirá buscando a aprovação da PEC da Transição mesmo após o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), ter decidido que os recursos para o pagamento da chamada renda mínima fiquem fora do teto de gastos.

Entre outros pontos, a PEC eleva o teto de gastos em R$ 145 bilhões para garantir o pagamento dos R$ 600 mensais do Auxílio Brasil (que voltará a se chamar Bolsa Família) mais R$ 150 por família com criança de até 6 anos.

O governo eleito diz ser necessário aprovar a PEC porque o Orçamento de 2023 proposto pelo governo Jair Bolsonaro garantiria o pagamento de R$ 405 mensais.

A colunista do g1 Ana Flor avaliou que, na prática, a decisão de Gilmar Mendes tira pressão sobre Lula, isso porque o governo eleito já não precisa mais da aprovação da PEC para cumprir a promessa de campanha.

Na mesma linha adotada por Fernando Haddad, porém, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, já declarou que o governo eleito seguirá buscando aprovar a PEC.

Do g1