Hackers invadem sistema e apagam mais de R$ 1 milhão em multas do Detran

Foram cumpridos cinco mandados de prisão e oito de busca em residências e no local de trabalho dos investigados

Um grupo investigado pela Polícia Civil do Distrito Federal é suspeito de cancelar indevidamente mais de R$ 1 milhão em multas de trânsito. A apuração indica que os criminosos montaram um complexo esquema envolvendo fraudes, corrupção de servidores públicos e crimes cibernéticos. Os investigados teriam contado com auxílio de hackers para invadir o sistema do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF).

O Metrópoles apurou que o servidor Cláudio Rodrigues de Queiroz – originalmente da Seplag, mas que estava cedido ao Detran – foi preso durante a Operação Backdoor, deflagrada na manhã desta quarta-feira (29/7). A investigação foi conduzida pela Coordenação Especial de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Cecor). A ação teve apoio do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).

Foram cumpridos cinco mandados de prisão e oito de busca em residências e no local de trabalho dos investigados. Segundo as apurações, há indícios de que as fraudes foram realizadas pelos hackers por meio de uma falha no sistema on-line do Detran.

Os criminosos se aproveitaram da vulnerabilidade e conseguiram cancelar multas, bem como retirar restrições judiciais e administrativas, permitindo, inclusive, o licenciamento e a transferência de propriedade de veículos com pendências.

O servidor cedido ao Detran-DF que foi preso é suspeito de repassar informações internas a ex-despachantes que realizavam as fraudes. A Polícia Civil acredita que os crimes eram encomendados pelos proprietários dos veículos a intermediários que, por sua vez, solicitavam aos hackers a alteração no sistema Getran.

Os delegados Wenderson Teles e Luiz Eduardo Mendes, responsáveis pelo caso, explicam a atuação da quadrilha.

Do Metrópoles

Comente