Greve dos professores de CG completa uma semana, sem sinalização de acordo

Categoria iniciou a paralisação no dia 8 de março, cobrando o reajuste do piso do magistério de 14,95%, previsto em lei desde janeiro deste ano

A greve dos professores de Campina Grande chega ao seu sétimo dia nesta quarta-feira (15). A categoria iniciou a paralisação no dia 8 de março, cobrando o reajuste do piso do magistério de 14,95%, previsto em lei desde janeiro deste ano.

O prefeito da cidade, Bruno Cunha Lima (PSD), alega que o município não tem recursos para arcar com o reajuste. A principal fonte de financiamento da educação básica é o Fundeb, um arranjo federal de solidariedade para o custeio do piso.

Na última semana, o prefeito recorreu à Justiça com um pedido de suspensão da greve. O desembargador José Ricardo Porto concedeu a liminar, mas o Sindicato dos Professores de Campina Grande alega que não foi notificado oficialmente.