Grávida, ambulante denuncia que foi agredida por agentes da Sedurb no Centro de JP

Na manhã desta terça-feira (02), agentes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (Sedurb) e comerciantes ambulantes protagonizaram uma confusão na Praça Dom Adauto, no Centro de João Pessoa. O motivo foi uma operação para retirada de barracas instaladas em áreas consideradas irregulares. A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) alega que os comerciantes sabiam da proibição, porém os ambulantes dizem que não foram avisados da decisão e reclamam de truculência por parte dos agentes.

Conforme divulgado pela Sedurb, um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado por vários órgãos definiu que a área não poderia ser ocupada por comerciantes, este documento teria sido firmado em abril, mas nenhum representante dos ambulantes teria participado da audiência pública. Apesar disso, a PMJP alega que os trabalhadores foram avisados que não poderiam montar barracas na Praça Dom Adauto. Porém, os comerciantes afirmam que foram surpreendidos pela ação da Sedurb. A presidente da associação mostrou documentos que comprovam pagamento de taxa para atuar como ambulantes. A prefeitura argumenta que a liberação diz respeito a atuação em outras localidades, definidas em sorteio, enquanto os comerciantes reforçam que não sabem para onde o material recolhido será levado.

No local da operação, houve muito conflito, comerciantes gritaram e choraram, alegando truculência por parte dos agentes da PMJP. Uma mulher chegou a afirmar que teria sido empurrada por um dos profissionais. Os agentes, por sua vez, disseram estar cumprindo determinação judicial e acusaram ambulantes de se apoiarem numa “cultura de invasão”.

Comente