Governo da Paraíba amplia apoio psicológico on-line para profissionais da área de Saúde

Ansiedade, estresse e angústia pela mudança brusca da rotina, e até medo por se sentir ameaçado pelo contexto atual de morte, tem sido algumas das principais demandas dos profissionais de saúde atendidos por psicólogos de forma on-line. O serviço vem sendo oferecido pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Coordenação de Saúde Mental e Cefor-PB, desde março, e agora está sendo ampliado em parceria com a Rede OrienteME, formada por psicólogos que atuam de forma on-line no cuidado em Saúde Mental.

A instituição particular dará suporte gratuito nos atendimentos aos profissionais de Saúde do setor público e privado, das instâncias federal, estadual e municipal, até o mês de outubro.

De abril a julho, pelo Suporte Psicológico On-line, foram realizados 702 atendimentos, voltados principalmente para trabalhadores da saúde e seus familiares. Agora, o atendimento será estendido a todos os servidores do Estado que estejam com esta demanda. Para este grupo de atenção e outros casos, o atendimento será realizado por psicólogos que já atuam no SUS, na Rede Estadual, que estão sendo recrutados para garantir a disponibilidade de profissionais para atenção, escuta e apoio essenciais a este novo tempo.

O Projeto de Suporte Psicológico já atendeu também aos estudantes do programa de intercâmbio estudantil, Gira Mundo, que estavam isolados no Canadá e na Espanha, por causa da pandemia.

O atendimento segue sendo ofertado em duas modalidades: individual, sendo quatro sessões por pessoa, que podem ser estendidas por mais quatro, dependendo da necessidade, e em grupo. Em ambos os casos, o atendimento é agendado pelo fone/whatsapp: (83) 99146-2469.

Para o psicólogo técnico da Coordenação de Saúde Mental da SES, Lucílvio Silva, que compõe a comissão que organiza o projeto, o atendimento psicológico também neste período de retorno gradual às atividades é de fundamental importância para atender demandas de conflitos diversos. “Estar dentro de casa acentua todos os problemas que já existiam antes mesmo da pandemia e as rotinas externas encobriam. Voltar a retomar antigas rotinas, por outro lado, pode ser ainda mais desafiador num contexto que fala tanto em risco, contaminação e morte”, declarou.

Comente