Governador diz que general prometeu desmobilizar acampamento golpista

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), disse nesta terça-feira (27) que o general Dutra, Comandante Militar do Planalto, se comprometeu a agilizar a desmobilização do acampamento golpista instalado em frente ao quartel-general do Exército, no Setor Militar Urbano, em Brasília. Segundo Ibaneis, a expectativa é que a medida seja intensificada até o dia 1º de janeiro, quando ocorre a posse do presidente eleito Lula (PT).

“Ontem mesmo tiveram conversas bastante estreitas entre o nosso secretário de segurança e o general Dutra, no sentido de que ele vai acelerar essa desmobilização. E a gente aguarda que isso ocorra também num ambiente de tranquilidade, como vem ocorrendo.”

Bolsonaristas estão acampados no local desde o resultado das eleições. No sábado (24), George Washington de Oliveira Sousa, um dos frequentadores do espaço, foi preso por montar um artefato explosivo próximo ao Aeroporto de Brasília. Ele confessou o crime. A Polícia Civil investiga a participação de outras pessoas.

Segundo Ibaneis, o caso “não é normal para uma democracia consolidada”. Quanto ao acampamento, o governador também falou que “essa desmobilização vem sendo feita já há várias semanas”.

“Existe, nos finais de semana, um aumento do aglomerado de pessoas, mas isso vem acontecendo naturalmente e deve se intensificar até o dia 1º”, afirmou.

“Nós sabemos que Brasília é palco de todos os movimentos sociais, de todos os movimentos dos servidores públicos, movimentos legítimos que nós temos, não considerando legítimas as coisas que vêm acontecendo, como foi esse caso da tentativa de atentado a bomba, com armamento pesado. Eu acho que isso não é normal para uma democracia consolidada como a que nós temos aqui no nosso país, e a gente aguarda que esses movimentos, eles voltem para dentro da normalidade.”

Preparação para a posse

Ainda durante a entrevista coletiva, Ibaneis disse que todo o efetivo da Polícia Militar, da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros vai atuar durante a cerimônia de posse, e nas apresentações culturais marcadas para 1º de janeiro.

“Todas as polícias do DF, todos os equipamentos vão ser utilizados para que a gente tenha realmente um ambiente de posse o mais tranquilo possível.”

O futuro ministro da Justiça do governo Lula, Flávio Dino, disse que o roteiro da posse está mantido, e que “pequenos grupos terroristas” e “pequenos grupos extremistas” não vão “emparedar as instituições”.

“Todas as pessoas que virão à posse participarão de um evento em paz e retornarão para os seus lares em paz. Não são pequenos grupos terroristas, não serão pequenos grupos extremistas que vão emparedar as instituições da democracia brasileira. Não espaço para isso no Brasil”, disse Dino.

“Não têm espaço, não tem espaço, não venceram, não vencerão. E nós contamos com o governo do Distrito Federal nesse cumprimento da garantia da ordem pública”, completou. Do g1.