- Publicidade -
Tecnologia

Google lança o ‘Reformer’, inteligência artificial que entende livros inteiros

Esse modelo é capaz de compreender textos de até mil palavras, sintetizá-los e traduzir frases inteiras

Quando se trata de músicas, vídeos, textos e discursos, o maior desafio para a inteligência artificial é compreender o contexto que está sendo apresentado. Por exemplo, se durante um vídeo uma pessoa desaparecer e retornar posteriormente, muitos modelos vão esquecer que ela já esteve lá.

- Continua depois da publicidade -

A Google enfrentou esse problema com o Transformer, uma rede neural que compara palavras em um mesmo parágrafo para entender a relação entre elas. Esse modelo é capaz de compreender textos de até mil palavras, sintetizá-los e traduzir frases inteiras. Apesar disso, quando a compreensão de um texto, vídeo ou imagem depende de um contexto mais complexas, as capacidades do Transformer não são suficientes.

Para corrigir esse erro, a Google lançou o Reformer, um modelo aprimorado que supre as deficiências do seu irmão mais novo. Com ele é possível criar artigos inteiros para Wikipedia através da síntese de múltiplos textos, isso porque Reformer tem a capacidade de compreender até um milhão de palavras — e com apenas 16GB de memória.

Utilizando hash sensível à localidade (LSH), técnica algorítmica da Ciência da Computação, o modelo consegue unir palavras semelhantes próximas (não somente no mesmo parágrafo) e fazer comparações maiores e mais rápidas. Essa habilidade impede que ele se perca em frases longas e contextos muito complexos. Além disso, ele também consegue completar imagens “cortadas”, como é possível observar na foto acima.

Engenheiros da Google afirmam que o Reformer consegue facilmente compreender livros inteiros, demonstrando um enorme potencial para processar textos em massa. As informações são do TecMundo.

Comente

Redação Paraíba Já

Fundado em maio de 2010, o Paraíba Já é um portal de notícias sediado em João Pessoa (PB), que tem compromisso com a verdade, fazendo um jornalismo de qualidade e relevância social.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar