- Publicidade -
Política

Gervásio propõe que Conselho Federal entre com ação de Inconstitucionalidade contra Moro por abuso de poder

Portaria pode vir a ser usada para deportar o jornalista Glenn Greenwald, editor do The Intercept Brasil

O deputado federal Gervásio Maia (PSB), está propondo que o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, entre com ação de inconstitucionalidade contra o decreto 666, do ministro Sergio Moro, que pode vir a ser usado para deportar o jornalista Glenn Greenwald, editor do The Intercept Brasil.

- Continua depois da publicidade -

A ADIN para invalidação da portaria 666/2019 seria, de acordo com o documento, por “Abuso de poder, ao dispor de forma flagrantemente inconstitucional sobre o impedimento do ingresso, a repatriação sumária de pessoas”.

Não é da competência de Moro nem do Ministério da Justiça legislar sobre esse tipo de matéria, é inconstitucional, pois entra em conflito com a lei federal”, destacou Gervásio.

O parlamentar disse ainda que a portaria “causa estranheza”, uma vez que ela surge logo após a publicação de conversas comprometedoras envolvendo Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol, cuja divulgação tem por principal responsável o jornalista americano vencedor do Prêmio Pulitzer, Glenn Greenwald.

É, no mínimo, estranho essa portaria macabra, que permite deportação de estrangeiros. Sérgio Moro parece querer intimidar o jornalista Glenn, e para isso, atropela a liberdade de imprensa e o estado de direito”, lamentou o parlamentar.

A propositura será encaminhado ao Conselho Federal nesta segunda-feira (29).

Comente

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
E-mail: [email protected] | WhatsApp: (83) 98176 - 1651

Redação Paraíba Já

Fundado em maio de 2010, o Paraíba Já é um portal de notícias sediado em João Pessoa (PB), que tem compromisso com a verdade, fazendo um jornalismo de qualidade e relevância social.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar