Gabinete do ódio JP: Cícero é alvo de nova onda de matérias requentadas

Caso denunciado a Polícia Federal e a Delegacia de Crimes Digitais investiga distribuição de notícias falsas nas redes sociais

Na tarde deste sábado (22), mais uma onda de notícias falsas contra o pré-candidato Cícero Lucena (Progressistas), foi disparada do gabinete do ódio, supostamente ligado ao poder na capital. Trata-se da mesma notícia mentirosa e requentada, publicada em tempo real, nos sites e grupos de whatsapp por blogueiros que recebem verba pública.

O caso já foi denunciado a Polícia Federal e a Delegacia de Crimes Digitais para identificar o celular que disparou a distribuição de notícias falsas nos grupos e redes sociais. Essa é quarta vez que o fato acontece de forma coordenada e sempre utilizando a mesma ferramenta de disparos e os mesmos autores. “Trata-se de uma ação coordenada e que parte de uma orientação superior”, revelou um dos blogueiros que disse sofrer presão para postar os textos que já chegam editados.

Gabinete do ódio X Paraíba

Em maio deste ano, a Polícia Federal cumpriu 29 mandados de busca e apreensão contra alvos suspeitos de disseminar notícias falsas. A operação, parte do inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre fake news, foi realizada em seis estados por decisão do ministro Alexandre de Moraes, relator da investigação no Corte. Ele também determinou a quebra de sigilos fiscal e bancário de suspeitos de financiar o suposto sistema criminoso.

Na decisão, o ministro Alexandre de Moraes aponta indícios da existência do chamado Gabinete do Ódio, uma rede de propagação de notícias falsas e de ataques contra instituições com a finalidade de desestabilizar a democracia. No centro das articulações, de acordo com o magistrado, estão blogueiros que apoiam o governo, empresários e parlamentares. Para o juiz da Suprema Corte, investigações realizadas pela Polícia Federal revelam uma verdadeira associação criminosa em atividade na capital do país e que se espalha para os estados.

Comente