Festival de Artes Jackson do Pandeiro começa nesta quinta com abertura de Lenine

Começa, nesta quinta-feira (25), na Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), em João Pessoa, o Festival de Artes Jackson do Pandeiro. O show de abertura será com o cantor e compositor pernambucano Lenine, às 20h. A entrada é gratuita.

O evento vai até domingo (28), com mais de 60 atrações, em diversas áreas da cultura, como música, teatro, dança, circo, audiovisual, literatura, cultura popular e artes visuais. Durante quatro dias, mais de 400 artistas passarão pelo Espaço Cultural José Lins do Rego, que foi dividido em 13 polos.

Entre os artistas convidados que ocuparão o Polo ‘Sebastiana’ (Palco da Praça do Povo) a baiana Margareth Menezes, que canta no sábado (27) e o paraibano Genival Lacerda, que participa do concerto especial da Orquestra Sinfônica da Paraíba no domingo (28).

Evento será aberto nesta quinta-feira (25), às 9h30, com duas exposições em homenagem a Jackson do Pandeiro seguidas do debate ‘Diálogos Ritmados’. À tarde, terá início uma intervenção em Graffiti com os artistas paraibanos Carlos Nunes, Dedoverde e Tha, do Coletivo Acervo 03. A atividade acontece no Polo ‘A Ordem é Samba’ (estacionamento).

No mesmo local, às 18h40, haverá apresentação de dança com o grupo Supreme Boyz e show de Sinta a Liga Crew. No Polo ‘A Feira’ (Praça do Povo) terá início a Feirinha Criativa, que permanecerá durante todos os dias do evento. Já no Polo ‘Jack Perrin’ (Cine Banguê) será realizada sessão de curtas paraibanos a partir das 18h. A programação completa do evento está disponível no site www.funesc.pb.gov.br.

Lenine homenageia Jackson

Uma das atrações mais esperadas do primeiro dia de festival, Lenine fecha a noite de abertura do evento. Em João Pessoa, o compositor pernambucano vai apresentar um show exclusivo montado especialmente para celebrar o centenário de nascimento de Jackson do Pandeiro.

Lenine e sua banda formada por JR Tostoi, Bruno Giorgi, Pantico Rocha e Guila juntam zabumba, agogô e triângulo às guitarras, baixo e bateria para um mergulho em suas raízes. “Respeito a cultura popular e expressão que estão associadas a esta época e trago toda uma memória afetiva das festas ao som de xote, baião, coco e passeio na roça”, conta Lenine.

“Jack Soul Brasileiro”, foi composta especialmente para o cantor e compositor paraibano considerado um dos maiores ritmistas da história da Música Popular Brasileira. No show, Lenine cantará sucessos de Jackson.

O evento

A programação cultural do Festival de Artes Jackson do Pandeiro abrangerá shows, cortejos, apresentações, performances, intervenções, espetáculos, palestras, exposições, mostras, oficinas, encontros e outras atividades de formação artístico-culturais. Serão quatro dias de atividades intensas concentradas no Espaço Cultural José Lins do Rego. O evento é realizado pelo Governo do Estado através da Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc).

Jackson do Pandeiro

Nome artístico de José Gomes Filho, nascido em Alagoa Grande, em 31 de agosto de 1919, e que passou boa parte da vida em Campina Grande. Começou a admirar a música por meio da sua mãe, a cantadora de coco Flora Maia, que colocou o filho para tocar zabumba aos sete anos. Seu primeiro sucesso, “Sebastiana”, na década de 1950, o lançou para o Brasil e para o mundo. Jackson chegou a fazer duetos e parcerias com nomes como Luiz Gonzaga, Edgar Ferreira e Rosil Cavalcanti e ganhou o título de “Rei do Ritmo”. Ele morreu vítima de embolia pulmonar e cerebral em 10 de julho de 1982, aos 62 anos, em Brasília (DF).

Comente