Festa no Terreiro II: veja lista de presos na operação da PF na Paraíba

Operação cumpriu ainda seis mandados de busca e apreensão, sendo cinco em Patos e um em São Mamede

A Polícia Federal, com o apoio do Ministério Público da Paraíba, deflagrou nesta terça-feira (15) a segunda fase da operação “Festa no Terreiro 2”, que investiga um esquema de fraudes em licitações, desvios de recursos públicos, corrupção e lavagem de dinheiro na cidade de São Mamede, no Sertão paraibano. Entre os presos está o prefeito do município, Umberto Jefferson (DEM), que teria participado ativamente das irregularidades.

Além do gestor, também foram detidos preventivamente Maxwell Brian, dono de empresa do consórcio, operador e beneficiário do desvio de recursos; Josivan Marques, articulador do esquema e responsável pela obra; e Joao Lopes Neto, presidente da comissão de licitação.

A operação cumpriu ainda seis mandados de busca e apreensão, sendo cinco em Patos e um em São Mamede. Dois servidores públicos foram afastados do cargo e tiveram seus bens sequestrados, no valor equivalente a R$ 5.187.359,94.

Os investigados são acusados de frustrar o caráter competitivo de licitação; violar sigilo em licitação; afastar licitante; fraudar licitação ou contrato; praticar peculato; receber ou pagar propina; e ocultar ou dissimular a origem ilícita de dinheiro.

A operação “Festa no Terreiro 2” é um desdobramento da primeira fase da operação, realizada em 2 de março deste ano, que estimou um prejuízo de cerca de R$ 8 milhões aos cofres públicos. Por sua vez, essa operação é uma continuação da operação Bleeder, iniciada em 2021 e que teve sua última fase no dia 9 de março. O nome da operação faz alusão ao termo usado pelos investigados para combinar o resultado das licitações.