Fake news: Pedro Cunha Lima critica instalações de escola em perfeito estado

Escola Cidadã Integral José Lins do Rêgo, na cidade de Pilar, está recebendo alunos, professores e funcionários normalmente para o desenvolvimento das atividades escolares em 2022

A Escola Cidadã Integral José Lins do Rêgo, situada na cidade de Pilar, a exemplo das demais espalhadas nas diversas regiões da Paraíba, está recebendo alunos, professores e funcionários normalmente para o desenvolvimento das atividades escolares do ano letivo de 2022. Uma parte do prédio está sendo descentralizado para receber serviços de reforma e oferecer mais conforto e qualidade de ensino. O deputado federal e pré-candidato ao Governo do Estado Pedro Cunha Lima (PSDB) fez uma publicação nas redes sociais, nesta quarta-feira (6), atacando o estado das instalação e sugerindo um suposto abandono.

O prédio onde a escola está situada divide-se em dois blocos. Um desses blocos encontra-se em fase de descentralização para a Superintendência de Obras do Plano de Desenvolvimento (Suplan), que fará a reforma dos ambientes em breve. Já o outro bloco está recebendo normalmente os estudantes para o Ensino Híbrido, com salas suficientes e espaços de convivência. As aulas presenciais estão acontecendo nas segundas, terças, quintas e sextas, sendo as quartas destinadas à sanitização dos ambientes.

Veja publicação do deputado

Como 2022 é um ano eleitoral, começam a surgir fake news tentando desinformar a população e negar as ações nas diversas áreas de governo, entre as quais a educação, publicando fotos antigas para confundir pessoas menos informadas. A Escola Cidadã Integral José Lins do Rêgo foi alvo dessas falsas informações, que serão sempre desmentidas, fazendo prevalecer a verdade dos fatos e das ações que demonstram o compromisso do Governo do Estado com a população.

Veja fotos da escola em Pilar com perfeito estado

Desde 2019, o Governo do Estado tem priorizado a educação, assegurando a infraestrutura das escolas e a qualidade do ensino nas diversas regiões, além de desenvolver ações que fortalecem o ensino-aprendizagem. E para garantir a ampliação dessas ações, parcerias são realizadas com os municípios – somente no ano passado foram firmados 182 convênios para construção, reforma e/ou ampliação de escola municipal, aquisição de equipamentos, construção e reforma de ginásio, aquisição de laboratório, entre outros.

Uma das ações mais recentes é o programa Primeira Infância, por meio do qual 208 municípios estão contemplados com a construção de 208 creches, representando investimentos superiores a R$ 208 milhões e que consiste na execução de ações integradas da educação, saúde, assistência social, esporte e infraestrutura, beneficiando diretamente 14.800 crianças de 0 a 6 anos de idade.

A Paraíba é o primeiro colocado no país em oferta de educação integral. A partir de 2019, o número de escolas integrais começou a crescer e mais que triplicou o número existente anteriormente, saltando de 100 para 302 Escolas Cidadãs Integrais, contemplando os 223 municípios paraibanos. Desse total, 152 também são técnicas, que têm como diferencial a oferta dos cursos técnicos integrados ao Ensino Médio, que visam a formação dos jovens para atuarem no mercado de trabalho, como Turismo; Hospitalidade e Lazer; Recursos Naturais; Gestão e Negócios; Informação e Comunicação; Controle e Processos Industriais.

O Se Liga No Enem Paraíba se tornou programa e tem levado mais alunos da rede estadual a conquistarem o sonho de alcançar um curso de nível superior. A Rede Estadual de Ensino superou o quantitativo de estudantes aprovados em 2020, e em 2021 registrou 5.339 aprovações nas universidades públicas, das quais 442 estudantes foram classificados em 1º lugar. O número representa um aumento de 37,7% em relação ao Enem 2020, no qual foram aprovados 3.875 estudantes da Rede, e tende a aumentar nas próximas chamadas das universidades.

Com o Programa Primeira Chance o Governo do Estado tem incentivado a concessão de estágio, aprendizagem e primeira experiência profissional para estudantes do ensino médio e egressos  da Rede Estadual de Educação da Paraíba. Os estágios acontecem em empresas parceiras e órgãos públicos, em vários municípios do Estado, com bolsas entre R$ 300,00 e R$ 1.000,00, oferecidas pela Fundação de Apoio à Pesquisa da Paraíba (Fapesq-PB), ligada à Secretaria de Estado da Educação e da Ciência e Tecnologia da Paraíba (SEECT-PB). Em 2022, serão lançados cinco editais com 700 vagas de estágios para egressos e estudantes do ensino médio da Rede. O investimento será de R$ 4 milhões.

Pandemia – As ações do Governo do Estado durante a pandemia na área da Educação mereceram destaque em âmbito nacional e a Paraíba  é o Estado que possui o melhor Índice de Ensino à Distância (IEAD) em todo o Brasil, de acordo com pesquisa realizada pela série ‘Políticas Públicas e as Respostas da Sociedade”, produzida pela Rede de Pesquisa Solidária (RPS), da qual o Centro de Estudos da Metrópole (CEM-Cepid/Fapesp) faz parte.

O ensino remoto do estado também foi reconhecido como o melhor do Brasil por meio de pesquisa realizada pela Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV). A Paraíba ganhou destaque por ter uma maior cobertura e menor demora na implementação da modalidade de ensino remoto para os alunos das Escolas Estaduais, o que deu ao Estado, em nível nacional, a melhor avaliação com nota de eficiência 6,0, seguido do Distrito Federal (5,88) e Minas Gerais (5,83).  A nota da Paraíba foi mais do que o dobro da média nacional, que obteve 2,38.

Isto se deve à utilização de diferentes soluções digitais, com a criação do Regime Especial de Ensino dentro da política pública, entre os quais o programa Paraíba Educa, cuja plataforma foi vencedora da edição 2021 do Prêmio Excelência em Competitividade, na categoria Boas Práticas, promovido pelo Centro de Liderança Pública (CLP).

A Paraíba apresentou o melhor índice do Brasil em segurança sanitária no retorno às aulas presenciais, de acordo com um estudo realizado pela Rede de Pesquisa Solidária, que levou em consideração todas as medidas que foram adotadas pelos gestores municipais e estaduais para garantir a segurança dos estudantes, professores e servidores no retorno das aulas presenciais nas escolas de todo o Brasil. O estudo foi divulgado pelo jornal Folha de São Paulo em março de 2022 .