Fake news: Governo da PB nega fechamento de UTIs para Covid-19 no Metropolitano

Divulgar fake news para criar alarme é crime, de acordo com o Artigo 41 da Lei de Contravenções Penais, que prevê prisão de 15 dias a seis meses

Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires era gerido pela IPCEP

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou nota, nesta segunda-feira (29), para desmentir a informação de que o Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, em Santa Rita, vai fechar os leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) para atendimento de pacientes infectados pela Covid-19.

+ Paraíba confirma mais de 900 mortes em decorrência do novo coronavírus

Em nota, a SES ressalta que divulgar fake news é crime, de acordo com o Artigo 41 da Lei de Contravenções Penais, que prevê prisão de 15 dias a seis meses.

Além disso, a pessoa que divulgar por meio eletrônico notícias falsas sobre epidemias, endemias e pandemias na Paraíba, poderá ser multada, conforme a Lei Nº 11.659.

Leia nota na íntegra:

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) vem a público assegurar que é absolutamente inverídica a informação de que o Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, em Santa Rita, vai fechar leitos de UTI para atendimento a pacientes com a Covid-19.

A SES informa que nesta segunda-feira estão disponíveis na unidade seis leitos de UTI e 98 leitos de enfermaria. Já a taxa de ocupação de leitos de UTI adulto na 1ª Macrorregião de Saúde corresponde a 70%.

Divulgar fake news para criar alarme é crime, de acordo com o Artigo 41 da Lei de Contravenções Penais, que prevê prisão de 15 dias a seis meses. A pessoa que comete este tipo de crime ainda poderá ser incluída na Lei Nº 11.659, que estabelece multa para quem divulgar por meio eletrônico notícias falsas sobre epidemias, endemias e pandemias no Estado da Paraíba.

Comente