Em nota, Petrobras diz que Castello Branco tem mandato até 20 de março

Estatal informou que recebeu ofício do Ministério de Minas e Energia para que assembleia discuta indicação do general Silva e Luna

Em nota de esclarecimento ao mercado após anúncio de substituição no comando da Petrobras, a estatal afirmou que o atual presidente da empresa, Roberto Castello Branco, e os demais diretores executivos têm mandato vigente até o dia 20 de março de 2021.

A petrolífera informou que recebeu ofício do Ministério das Minas e Energia no qual o órgão solicita convocação da Assembleia Geral Extraordinária, com o objetivo de promover a substituição e a eleição de membro do Conselho de Administração.

“A União propõe, em função da última Assembleia Geral Ordinária ter adotado o voto múltiplo, que todos os membros do Conselho de Administração sejam, imediatamente, reconduzidos na própria Assembleia Geral Extraordinária, para cumprimento do restante dos respectivos mandatos”, diz a nota

O general Joaquim Silva e Luna foi indicado para o comando da estatal pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), na noite de sexta-feira (19/2), em substituição a Roberto Castello Branco. Se tiver o nome confirmado, ele será o primeiro militar a assumir a empresa desde 1989.

Silva e Luna é o atual presidente da Itaipu Binacional e foi ministro da Defesa no governo Michel Temer (MDB). Sua indicação precisa passar pelo conselho da Petrobras.

O substituto do economista Roberto Castello Branco tem formação em engenharia. Fez carreira militar em batalhões que atuam na construção de estradas e, segundo perfil feito pelo portal especializado DefesaNet quando virou ministro de Temer, “é apontado por colegas das Três Forças como um exímio especialista tanto em guerra de selva quanto de inteligência em combate urbano, com apurado faro político”.

Silva e Luna possui pós-graduação em Política, Estratégia e Alta Administração do Exército e em Projetos e Análise de Sistemas, mestrado em Operações Militares e doutorado em Ciências Militares, cursos de Guerra na Selva e de Combate Básico das Forças de Defesa de Israel, onde foi adido militar de 1999 a 2001.

Do Metrópoles