Em meio a crise na educação e ameaça de greve, Bruno se reúne com professores de CG

Na semana passada, o Sintab decidiu suspender o indicativo de paralisação até esta semana

Prefeito eleito Bruno Cunha Lima - Foto: Arquivo

O prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD), irá se reunir com o Sindicato dos Trabalhadores do Agreste da Borborema (Sintab), nesta segunda-feira (6), para discutir o reajuste salarial para o magistério, de acordo com o piso nacional da categoria, em meio a crise na educação e ameaça de greve.

Na semana passada, o Sintab decidiu suspender o indicativo de greve até esta semana. Em nota, o sindicato afirmou que “a decisão dos servidores é uma sinalização aos poderes públicos de que a categoria não é intransigente e que não quer criar problemas”. No entanto, caso não haja avanço na negociação, a greve será deflagrada no dia 08 de março.

A decisão ocorreu após uma audiência na Promotoria de Educação do Ministério Público, na qual a direção do Sintab e a Prefeitura de Campina Grande chegaram a um acordo para a instalação de uma mesa de negociação para debater o reajuste do Piso do Magistério e outras pautas de interesse da categoria.

O presidente do Sintab, Franklyn Barbosa, incentivou os servidores a manter-se ativos na luta pelo reajuste salarial. Ele afirmou que “o reajuste não vai cair de paraquedas” e que os poderes públicos não estão do lado da categoria. “Vamos ter que buscar na marra”, disse ele.

Por sua vez, o vice-presidente do Sintab, Napoleão Maracajá, rechaçou a hipótese de que a prefeitura não tem recursos para pagar o reajuste do piso. Ele destacou que o art. 4º da Lei do Piso determina que, caso o município não consiga assegurar o pagamento do piso, a União deverá complementar os recursos, bastando o ente federativo justificar sua incapacidade através de solicitação fundamentada. “A lei é muito clara. Se a prefeitura diz não ter os recursos, na Lei tem opções de recorrer a esses recursos, obviamente, obedecendo a critérios de transparência que a prefeitura deverá cumprir”, concluiu.