Em entrevista à CNN, pesquisadora desmonta farsa da cloroquina diante de médicos; assista

Cientistas estão abandonando a cloroquina e apostando em novas estratégias para auxiliar no tratamento de pacientes com o coronavírus

Natalia Pasternak Taschner CSICon 2018 Sunday Paper- Politicization of Science CAMs in the Brazilian Public Healthcare System

A pesquisadora Natália Pasternak, bióloga e doutora em microbiologia pela Universidade de São Paulo (USP) destacou, durante uma entrevista a CNN Brasil, que a defesa da cloroquina feita pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) precisa ser investigada e pode ser caso de impeachment.

O remédio, produzido por laboratórios das Forças Armadas em grande quantidade a pedido do presidente, não tem evidência científica de que faça qualquer efeito contra o novo coronavírus. De acordo com pesquisas recentes, o medicamento é até pior para o tratamento.

A pesquisadora utilizou uma série de argumentos científicos e embasados para discutir com os médicos que defendem o uso da droga.

Natália ainda questionou a decisão de realizar gastos com a produção do medicamento no Brasil.

Durante a pandemia, Natália Pasternak já sofreu ataques de ódio por combater a desinformação promovida pelo presidente da República, que alegava uma possível cura da doença pela cloroquina.

Cientistas estão abandonando a cloroquina e apostando em novas estratégias para auxiliar no tratamento de pacientes com o coronavírus. Uma delas é o uso de medicamentos anticoagulantes, como a Heparina.

Confira trecho da entrevista:

Comente