- Publicidade -
Cotidiano

Em crise financeira, Avianca deixa de operar linha João Pessoa/Galeão

Empresa passa por processo de recuperação judicial

A Avianca Brasil anunciou hoje que, a partir de abril, vai deixar de operar 21 rotas, o que equivale a aproximadamente 40% dos 53 trajetos nos quais a companhia atua atualmente.

- Continua depois da publicidade -

Além disso, a empresa decidiu fechar três bases operacionais em aeroportos: Galeão (RJ), Petrolina (PE) e Belém (PA). Desde o ano passado, a companhia aérea passa por um processo de recuperação judicial.

A Avianca afirmou que os passageiros que já compraram passagens para os destinos encerrados poderão solicitar o reembolso, que será feito em até sete dias após o pedido. Quanto ao reembolso, além do prazo de sete dias para o ressarcimento, a companhia aérea deverá fazê-lo no mesmo meio pelo qual o pagamento foi efetuado.

A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) determina que o passageiro seja ressarcido da mesmo forma que pagou (dinheiro em espécie ou estorno no cartão).

Se preferir, a Avianca diz que o passageiro poderá ser reacomodado em voos de outras companhias. A reacomodação deve ser gratuita, para o mesmo destino e nos primeiros voos disponíveis. Os passageiros com necessidade de atendimento especial têm prioridade.

Nos sites Passageiro Digital, da Anac, e no da própria Avianca o passageiro pode obter mais informações sobre os procedimentos.

Em fevereiro, a empresa já havia anunciado o encerramento das operações que partem do aeroporto de Guarulhos com destino a Santiago (Chile), Miami e Nova York (EUA). Somando essas três rotas, são 24 fechadas, no total.

A Avianca afirmou que, com as mudanças, a operação da aérea se torna sustentável e os horários serão cumpridos.

Veja as rotas que serão encerradas a partir de abril:

  • Aracaju-Salvador
  • Belém-Guarulhos
  • Fortaleza-Bogotá
  • Salvador-Bogotá
  • Brasília-Cuiabá
  • Brasília-Fortaleza
  • Brasília-Galeão
  • Brasília-Maceió
  • Brasília-Salvador
  • Florianópolis-Galeão
  • Fortaleza-Galeão
  • Guarulhos-Galeão
  • Galeão-Foz do Iguaçu
  • Galeão-João Pessoa
  • Galeão-Natal
  • Galeão-Porto Alegre
  • Galeão-Salvador
  • Maceió-Salvador
  • Petrolina-Recife
  • Petrolina-Salvador
  • Recife-Salvador

Recuperação Judicial

A Avianca registrou um pedido de recuperação judicial em 10 de dezembro de 2018, após ser alvo de ações de reintegração de posse para a retomada de aeronaves. A empresa havia atrasado pagamento do arrendamento dos aviões, e se envolveu em uma situação jurídica delicada.

No começo de março, a companhia assinou um acordo para vender uma parte importante da empresa para a concorrente Azul.

Segundo fontes ouvidas pelo UOL, o fechamento de rotas e bases da Avianca Brasil molda a Unidade Produtiva Isolada, como estipulado pela Lei de Recuperação Judicial. A medida, assim, viabiliza e facilita o acordo para a venda à Azul.

Leia a nota oficial da empresa:

“Como parte do plano de recuperação judicial, a Avianca Brasil informa que está readequando a sua operação e reduziu o tamanho de sua frota com o objetivo de operar 23 destinos, com 26 aeronaves.

Esta readequação acontecerá progressivamente durante o mês de abril, e a diminuição implicará na descontinuidade de algumas rotas operadas pela companhia e no fechamento de três bases operacionais – Galeão (RJ), Petrolina (PE) e Belém (PA).

A Avianca Brasil informa que as 32 rotas remanescentes são estratégicas e continuam a ser operadas normalmente, com seus pousos e decolagens mantidos dentro do cronograma previsto.

Para os passageiros com bilhetes emitidos para os destinos que deixam de ser atendidos, a empresa informa que cumprirá a resolução 400 da Anac.”

Comente

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
E-mail: [email protected] | WhatsApp: (83) 98176 - 1651

Redação Paraíba Já

Fundado em maio de 2010, o Paraíba Já é um portal de notícias sediado em João Pessoa (PB), que tem compromisso com a verdade, fazendo um jornalismo de qualidade e relevância social.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar