- Publicidade -
Política

Efraim Filho diz que STF foi equivocado e preconceituoso ao proibir vaquejada

O deputado federal paraibano Efraim Filho disse nesta sexta-feira (7) que o Supremo Tribunal Federal (STF) tomou uma decisão equivocada ao proibir a realização de vaquejada. A declaração, que foi feita no Facebook, ressalta ainda que “ao decidir ser inconstitucional lei que regulamenta a atividade como esporte, desconheceu uma raiz histórica do nosso povo e que hoje ajuda a produzir renda, emprego e oportunidades numa região muito carente de investimentos”.

- Continua depois da publicidade -

Efraim Filho ressalta também que é estranho que o STF não tenha se pronunciado com relação ao rodeio, mais tradicional no Sul do País. “Ficou sentimento de que também foi decisão preconceituosa com o Nordeste. Temos de preservar essa importante atividade que tantas alegrias, empregos e oportunidades traz ao nosso povo. Não vamos desistir e vamos a luta junto com a ABVAQ (Associação Brasileira de Vaquejada) para reverter a decisão e corrigir esse equívoco”, concluiu.

Saiba mais

Nesta quinta-feira (6), o STF decidiu) derrubar uma lei do Ceará que regulamentava a vaquejada, tradição cultural nordestina na qual um boi é solto em uma pista e dois vaqueiros montados a cavalo tentam derrubá-lo pela cauda. Por 6 votos a 5, os ministros consideraram que a atividade impõe sofrimento aos animais e, portanto, fere princípios constitucionais de preservação do meio ambiente.

O governo cearense dizia que a vaquejada faz parte da cultura regional e que se trata de uma atividade econômica importante e movimenta cerca de R$ 14 milhões por ano. Apesar de se referir ao Ceará, a decisão servirá de referência para todo o país, sujeitando os organizadores a punição por crime ambiental de maus tratos a animais. Caso algum outro estado tenha legalizado a prática, outras ações poderão ser apresentadas ao STF para derrubar a regulamentação.

Votaram contra a vaquejada o relator da ação, Marco Aurélio, e os ministros Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Celso de Mello, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski. A favor da prática votaram Edson Fachin, Gilmar Mendes, Teori Zavascki, Luiz Fux e Dias Toffoli.

Veja a postagem feita pelo deputado Efraim Filho:

efraim_post

Comente

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
E-mail: [email protected] | WhatsApp: (83) 98176 - 1651

Redação Paraíba Já

Fundado em maio de 2010, o Paraíba Já é um portal de notícias sediado em João Pessoa (PB), que tem compromisso com a verdade, fazendo um jornalismo de qualidade e relevância social.

Artigos relacionados

6 Comentários

  1. ~°||•VaQuejada Éh Cultura, É Tradição , Vaquejada Tá No Sangue Meu Patrão Vem De Geração A Geração ! ??????#EuApoioAVaquejada #SomosTodosVaquejada….
    #TodosAfavorDaVaquejada

  2. Eu acho q eles naum deveria proibir uma grande tradição, e milhares de pais de Familia vão fica sem sua renda e muitos que tem um cavalo valioso um parque de vaquejada bem estruturado e ai o qnt foi empregado e agora vão viver de que ??? Deveria ir procura fazer como acabasse mais com os crimes, com a violencia no Brazil e acabar com a lavagem de dinheiro publico e naum com um esporte tradicional eu sou CONTRA ISSO PROIBIÇÃO DE VAQUEJADA NAO NAO NAO NAO …

  3. Isso é um absurdo tentar acabar o único esporte genuinamente brasileiro,
    Esse povo que julga a vaquejada concerteza nunca teve o prazer de compartilhar as boas amizades adquirido no meio do nosso maior patrimônio cultural,
    Vcs que tem o poder da caneta imaginem só milhares de pais de família que vão virar bandido porque não tem outro meio de vida a não ser a # vaquejada ”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar