DPU solicita a Fulgêncio esclarecimentos sobre falta de medicamentos nos Caps de JP

A Defensoria Público da União solicitou à Secretaria Municipal de Saúde, sob responsabilidade de Adalberto Fulgêncio, através de ofício, informações sobre a “possível interrupção no fornecimento pelo SUS de medicamentos de saúde mental”. De acordo com apuração do Paraíba Já, os problemas com a falta de medicamentos nas unidades de Centro de Atendimento Psicossocial (Caps) de João Pessoa acontecem desde 2015. O documento é assinado pelo Defensor Público Federal, Edson Júlio de Andrade Filho.

Tramita na DPU um Procedimento de Assistência Jurídica de natureza coletiva, no qual se presta assistência jurídica a pacientes com transtornos mentais nesta capital, que informaram que estaria havendo interrupções sistemáticas no fornecimento de medicamentos. Confira medicamentos em falta:

  • Carbomezapina (400 mg);
  • Clonazepam (2 mg);
  • Carbolitium (300 mg);
  • Neozine (gotas);
  • Amytril (25 mg);
  • Sertralina (50 mg);
  • Depakene (250 mg e 500mg);
  • Cenetol (2 mg).

Conforme a DPU, também se faz necessário a Secretaria Municipal de Saúde informar a gravidade da situação e o impacto que a interrupção da terapia medicamentosa gera na saúde mental dos pacientes e na qualidade de vida destes e de seus familiares.

“Diante disso, solicita-se esclarecimentos quanto às razões para a interrupção sistemática no fornecimento dos medicamentos acima mencionados e uma previsão concreta para a regularização da dispensação de cada um desses fármacos”, versa trecho do ofício.

Andrade Filho deu o prazo de 10 dias, a contar do envio do ofício – datado do dia 6 de agosto – para a manifestação da Secretaria de Saúde de João Pessoa sobre o caso.

Confira ofício

[pdf-embedder url=”https://paraibaja.com.br/wp-content/uploads/2019/08/Ofício-DPU-à-SMS-medicamentos-saúde-mental.pdf” title=”Ofício DPU à SMS – medicamentos saúde mental”]

Comente