- Publicidade -
Brasil

Discurso no ABC: Lula chama Moro de canalha e diz que Dallagnol montou quadrilha

Libertado após 580 dias, Lula foi recebido por uma multidão no Sindicato dos Metarlúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, e em seu primeiro pronunciamento feito ao povo brasileiro nesse sábado (9) criticou duramente a Lava-Jato.

- Continua depois da publicidade -

“Quando um ser humano, um homem ou uma mulher, tem clareza do que ele quer na vida, tem clareza do que ele representa e tem clareza que seus algozes e seus acusadores estão mentindo… Eu tomei a decisão de ir lá para a Polícia Federal porque eu preciso provar que o juiz Moro não era juiz, era um canalha que estava me julgando. Eu precisava provar que o Dallagnol não representa o MP, que é uma instituição séria. Ele montou uma quadrilha com a Força-Tarefa da Lava Jato, inclusive para roubar dinheiro da Petrobrás e das empreiteiras. Se eu tivesse saído do Brasil eu seria tratado como fugitivo. Eu decidi ir para pertinho deles para poder provar para a sociedade”, declarou.

O ex-presidente ainda lembrou que a multidão presente em São Bernardo em 7 de abril de 2018 tentou impedir que ele fosse preso e reafirmou a gratidão pela mobilização feita em seu favor.

Lula foi recebido no carro de som com a música Anunciação, de Alceu Valença, e com o antológico jingle “Lula lá”, criado para a campanha eleitoral de 1989, mas que seguiu como um forte grito até os dias de hoje. Os versos “Tu vens, tu vens. Eu já escuto os teus sinais” foram entoados desde cedo e marcaram a chegada do ex-presidente ao palco do ato.

Lula livre

Lula passou a noite em Curitiba após ser reconquistar a liberdade e deixar a Superintendência da Polícia Federal na tarde desta sexta-feira (8). Em seu primeiro ato, agradeceu ao companheiros da Vigília Lula Livre, que durante os 580 estiveram com ele, dando bom dia e boa noite.

Em seu primeiro discurso, exaltou a mobilização popular que lutou pela sua liberdade e lhe deu forças durante a prisão, encerrada após decisão de juiz que seguiu determinação do STF. Lula ainda criticou a Globo, a Lava Jato e o governo Bolsonaro e afirmou que as eleições de 2018 foram roubadas.

“Eu quero que vocês saibam que além de continuar lutando para melhorar a vida do povo brasileiro eu quero dizer o que o lado mentiroso da PF, do MPF, além do Moro e do TRF-4, tem que saber: eles não prenderam um homem, eles tentaram matar uma ideia, mas uma ideia não de mata. Se existe uma quadrilha e um monte de mafioso nesse país essa maracutaia que eles fizeram para tentar, liderado pela Rede Globo de Televisão, que o PT e o Lula eram criminosos”, afirmou.

À noite, Lula encontrou o ex-ministro José Dirceu, que também foi libertado após a decisão do STF de derrubar a prisão em segunda instância. Em vídeo após o encontro, Dirceu disse que  é preciso deixar claro que o projeto progressista representa o oposto do que o neoliberalismo conservador de Jair Bolsonaro vem fazendo no Brasil. “Agora não é por Lula livre. Agora é para retomarmos o governo do Brasil”, disse Dirceu.

Lula também gravou um vídeo para os líderes progressistas que estão reunidos na Argentina no grupo de Puebla. “Quero dar um abraço para todos os companheiros de todos os países que participam do Grupo Puebla e todas as personalidades. Eu queria dizer pra vocês que eu finalmente estou livre e estou com muita vontade de lutar”, disse.

Pela manhã, Lula se deslocou de avião até São Paulo, onde se dirigiu imediatamente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, onde chegou por volta das 13h. Com informações do Congresso em Foco.

Comente

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
E-mail: [email protected] | WhatsApp: (83) 98176 - 1651

Redação Paraíba Já

Fundado em maio de 2010, o Paraíba Já é um portal de notícias sediado em João Pessoa (PB), que tem compromisso com a verdade, fazendo um jornalismo de qualidade e relevância social.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar