Desoneração da folha: “maior desafio é preservar empregos”, diz Efraim Filho

Com a medida, que é de autoria do parlamentar paraíbano, milhares de empresas ganham fôlego para preservar milhões de postos de trabalho em 2022

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) aprovou, hoje (17), o projeto do deputado Efraim Filho (PB), líder do Democratas na Câmara, que mantém a política de desoneração da folha de pagamentos dos setores que mais empregam no Brasil. Com a medida, milhares de empresas ganham fôlego para preservar milhões de postos de trabalho em 2022.

“O maior desafio do Brasil é preservar empregos e gerar oportunidades, e a política de desoneração da folha de pagamentos dos principais setores da economia vai contribuir com esse propósito”, afirmou Efraim Filho, durante o debate na CCJC. Segundo ele, não é momento de focar na elevação da arrecadação, com aumento da carga tributária, mas de “ajudar pais e mães de família a colocar o pão na mesa de suas casas”. Por ter caráter conclusivo, texto segue direto para análise no Senado.

O texto aprovado prevê o modelo atual de desoneração até 2023. De acordo com a maioria dos parlamentares que participaram da votação, incluindo o líder do Democratas, o objetivo é passar para um novo modelo de desoneração, mais amplo do que o atual, por meio de uma reforma tributária. “Na minha opinião, esse é um tipo de imposto burro. Porque se você coloca imposto na folha de pagamento, quanto mais empregos se gerar, mais impostos vai pagar”, declarou Efraim.