Deslizamento de barreira deixa sete mortos e feridos no Recife, na véspera do Natal

Subiu para sete o número de mortos no deslizamento de barreira que atingiu duas casas no bairro de Dois Unidos, na Zona Norte do Recife, na madrugada desta terça-feira (24). Após oito horas de buscas, e com a ajuda de cães treinados, os bombeiros encontraram os corpos de duas mulheres que estavam desaparecidas.

Os corpos de Claudia Bezerra, de 47 anos, e de Lia de Oliveira, de 45 anos, foram localizados às 11h48. Não foi informado se essas duas vítimas têm parentesco com as outras cinco pessoas que morreram no deslizamento e com as três pessoas que ficaram feridas no acidente e pertenciam à mesma família.

Um dos sobreviventes do deslizamento, Luiz Tadeu Costa, de 56 anos, afirmou que a casa onde ocorreu o acidente, dez anos atrás, foi atingida por outro deslizamento, que não deixou ninguém ferido. Ele disse que, nesta terça, tentou segurar a parede que atingiu a ele e à esposa, que também sobreviveu.

Não chovia no momento do deslizamento e moradores da área relataram que dois canos estouraram e o vazamento, iniciado às 2h, teria feito a barreira deslizar. A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) informou que enviou uma equipe técnica ao local para apurar o que teria ocorrido. A Defesa Civil do Recife também foi à área do deslizamento.

Veja quem são as vítimas do deslizamento

Mortos

  • Emanuel Henrique de França, de 25 anos: marido de Érica e pai de Érick.
  • Érica Virgínia, de 19 anos: esposa de Emanuel e mãe de Érick.
  • Érick Junior, de 2 meses: filho do casal.
  • Lucimar Alves, de 50 anos: avó de Daffyne.
  • Daffyne Kauane Alves, de 9 anos: neta de Lucimar.
  • Claudia Bezerra, de 47 anos.
  • Lia de Oliveira, de 45 anos.

Feridos

  • Otoniel Simião da Silva, de 57 anos: foi levado para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Nova Descoberta, na Zona Norte do Recife, mas o estado de saúde dele não foi divulgado até a última atualização desta matéria. Ele é marido de Lucimar e primo de Emanuel, que morreram no deslizamento.
  • Luiz Tadeu Costa, de 56 anos: também foi encaminhado para a UPA de Nova Descoberta, mas recebeu alta no início da manhã. Ele é marido de Cristina, que também se feriu no deslizamento.
  • Cristina Gomes da Silva, de 43 anos: foi socorrida para o Hospital da Restauração, no Derby, na área central do Recife, com escoriações e tem quadro clínico estável. É irmã de Lucimar e esposa de Luiz.

Respostas

Procurada pelo G1, a Defesa Civil do Recife informou que não houve interdições de casas além das residências que foram atingidas. Também não houve desabrigados, já que os três feridos moram num terreno em que ficam outras casas da mesma família.

Sobre a informação de que o vazamento de canos da Compesa teria provocado o acidente, o governo de Pernambuco informou, por meio de nota, que a empresa enviou 50 técnicos para o local, “analisando o rompimento dos canos de abastecimento existentes na encosta”.

A companhia, segundo o governo, “realiza monitoramento permanente do abastecimento na área, inclusive com contatos diretos com as lideranças comunitárias. Nas últimas semanas não houve registro de vazamentos no local”.

A nota enviada afirmou, ainda, que desde as 3h, o governo acionou profissionais de quatro secretarias, além da Compesa, para fazer o atendimento do deslizamento e que a Secretaria de Desenvolvimento Social “está prestando assistência às famílias das pessoas falecidas e aos feridos que foram levados para a UPA de Nova Descoberta e para o Hospital da Restauração”.

A Prefeitura do Recife também se pronunciou sobre o caso e informou que, através da Secretaria de Desenvolvimento Social, Defesa Civil e Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb), “está prestando todo o apoio à Compesa para que seja garantida assistência aos familiares das vítimas e moradores da área”. A prefeitura disse que “se solidariza com os parentes das vítimas e com toda comunidade”. Com informações do G1/PE.

Comente