Deputado bolsonarista tem mandato suspenso por acusar colega de integrar facção

Após a punição, o parlamentar fez discurso furioso, partiu para o ataque, disse que não irá se calar e que "vem com tudo"

O deputado estadual André Fernandes (Republicanos) teve mandato suspenso na Assembleia Legislativa do Ceará por 30 dias. Ele foi punido em processo disciplinar. Outras quatro denúncias contra deputados tramitam na Assembleia.

A sessão foi quente e repleta de acusações. Foram 29 votos pela suspensão, 11 contra a suspensão e três abstenções. Houve dois ausentes. Eram necessários 24 votos contra ele. Estavam ausentes dois deputados e o presidente José Sarto não votou.

Fernandes foi punido por ter dito que recebia denúncias de que deputados teriam relação com fações criminosas, sem apresentar provas. Em representação que o Ministério Público divulgou, ele apontava o parlamentar como Nezinho Farias (PDT), com quem Fernandes se desculpou.

Após a punição, André Fernandes fez discurso furioso, partiu para o ataque, disse que não irá se calar e que “vem com tudo”.

PDT e PT liberaram as bancadas para votar no caso André Fernandes. O MDB fechou questão contra a suspensão do mandato. A votação será aberta.

Desde a noite de quarta-feira chegaram deputados para se inscrever para falar. Eles dormiram na Assembleia. O próprio André Fernandes puxou a fila. André Fernandes pediu na Justiça que concedesse liminar anulando o processo disciplinar de que é alvo, número 01/2019, e o projeto de resolução 8/2020, que declara a suspensão do mandato.

Comente