De perdição, Ruy Carneiro entende…

Por José Augusto de Almeida (advogado)

Apontado por assessores do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), como um verdadeiro “papagaio de pirata”, visto até poucos meses sempre posicionado cuidadosamente ao lado do alcaide, o deputado federal, Ruy Carneiro (PSDB), resolveu botar “gosto ruim” na aliança entre o Cidadania do governador, João Azevedo, e o Progressistas do pré-candidato, Cícero Lucena. Logo ele…

O tucano, que chegou a dizer que Cícero estava tomando “o caminho da perdição” ao se aliar a João Azevedo, está condenado desde 2015 à perda do mandato e a devolução de R$ 1,5 milhão por envolvimento no escândalo da Desk, que tratou da compra, pra lá de suspeita, de cadeiras para o Estádio Almeidão, quando era secretário de Esportes.

Pois é, meu caro leitor. Como alguém condenado por um escândalo de corrupção, promovendo uma licitação fraudulenta, que segundo o Gaeco causou um prejuízo de mais de R$ 1 milhão ao Estado, acha que tem condições morais de falar em caminho da perdição? No máximo poderia citar este caminho por sua vivência… O que deputado e pré-candidato a prefeito deveria fazer é uma autocrítica, avaliando sua vida pregressa antes de tentar posar de paladino da moral.

A sentença contra Ruy foi aplicada em 24 de setembro de 2015 pelo juiz Leonardo Sousa de Paiva Oliveira, que apurou denúncia feita pelo Ministério Público com base em relato do empresário Rodolfo Pinheiro Lima “para aferição de supostas irregularidades nas despesas decorrentes do Contrato nº 004/2009 e Aditivo nº 001/2009, firmados entre a Secretaria de Estado da Juventude Esporte e Lazer e a empresa Desk Móveis Escolares e Produtos Plásticos Ltda”.

Na decisão, Ruy teve suspensos seus direitos políticos por seis anos, foi decretada a perda da função pública, além de ter que reparar, solidariamente, dano estimado em R$ 1.550.800,00 (Um milhão, quinhentos e cinquenta mil e oitocentos reais), montante este a ser corrigido monetariamente, com juros de mora de 1 por cento ao mês a contar da data da inicial. Além de Ruy, também foram condenados Desk Móveis Escolares, Luiz Carlos Chaves e José de Araújo Agostinho.

Tentar botar gosto ruim na aliança alheia parece coisa de quem mal consegue pontuar nas próprias pesquisas.

Comente