Curva de casos da Covid-19 em Conde é menor devido medidas de isolamento, diz UFPB

Curva de crescimento dos casos é menor do que as registradas quando não existem medidas de restrição ou de isolamento social

O professor e pesquisador Rodrigo Viana realizou, a convite da prefeita de Conde, Márcia Lucena (PSB), uma análise dos dados da pandemia no município. Conforme ele, a curva de crescimento dos casos confirmados é menor do que as registradas durante uma pandemia, quando não existem medidas de restrição ou de isolamento social.

“Se o município não tivesse tomadas as atitudes que tomou, nós estaríamos hoje em uma situação pior”, afirmou Rodrigo Viana, que faz parte do Departamento de Nutrição da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e trabalha na área de epidemiologia em saúde pública.

“Se nós retomarmos as atividades sem nenhum controle ou medidas de restrição, a previsão é que o número de casos de coronavírus no município aumente e bastante.”

Rodrigo Viana ainda ressaltou que existem dois cenários: o pessimista e otimista. O pessimista aponta que o município teria um crescimento da doença, utilizando todas as medidas restritivas e chegaria no final do mês com 850 casos. Atualmente o Conde tem 546 infectados. Nesse mesmo cenário, sem medidas e com o retorno das atividades, os registros poderiam chegar a três mil.

Conforme ele, no cenário otimista, considerando que a velocidade da epidemia está diminuindo na cidade, sem medida de restrição seriam mais 250 infectados nos próximos 15 dias. Com as medidas de prevenção, recomendadas pelas secretárias de saúde, o Conde teria cerca de 100 a 150 casos, ou seja, quase a metade dos registros.

“É muito importante estarmos atentos neste momento. A situação vai melhorar, a velocidade está diminuindo e se a gente tomar cuidado agora, logo voltaremos a vida normal”, destacou.

Assista

Comente