Crimes de ódio na internet: casos de xenofobia aumentam 252% em 2023

Total de denúncias recebidas pela Safernet em 2023 alcançou a marca de 101.313 queixas

As denúncias de presença de imagens de abuso e exploração sexual infantil na internet atingiram um recorde alarmante em 2023, de acordo com dados divulgados hoje (6) pela organização não governamental (ONG) Safernet. Porém, os números não param por aí. Além desses casos preocupantes, os relatos de outras violações de direitos humanos e crimes de ódio online, como xenofobia, tráfico de pessoas, intolerância religiosa e neonazismo, também bateram recordes no último ano.

O total de denúncias recebidas pela Safernet em 2023 alcançou a marca de 101.313 queixas, um aumento significativo em comparação ao recorde anterior, registrado em 2008, que totalizou 89.247 denúncias. Entre essas denúncias, destacam-se os crimes de ódio, com um aumento de 252,25% nos casos de xenofobia e de 29,97% na intolerância religiosa na internet em relação a 2022.

Segundo a ONG, o crescimento dessas queixas está relacionado à guerra na Faixa de Gaza, na Palestina, no Oriente Médio. No entanto, mesmo diante desses números alarmantes, houve uma queda no número de denúncias de outros crimes de ódio, como racismo (-20,36%), LGBTfobia (-60,57%) e misoginia (-57,56%) em comparação com o ano anterior.

A Safernet ressalta que a redução nas denúncias desses crimes em 2023 já era esperada, uma vez que tais denúncias tendem a aumentar em anos eleitorais, padrão observado em 2018, 2020 e 2022. O aumento nos casos de xenofobia na internet é um alerta para a necessidade de ações concretas e eficazes no combate ao discurso de ódio e discriminação online.