Covid-19: PB está preparada para possível 2ª onda de casos, diz secretário de Saúde

Ele ainda ressaltou que o vírus continua circulando e a falta de cumprimento das medidas de prevenção à doença podem acarretar no aumento de casos e óbitos

O secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros comentou, nesta segunda-feira (10), sobre a marca de dois mil paraibanos que não resistiram às complicações causadas pela Covid-19 no Estado. De acordo com o secretário, 75% das vítimas tinham idade acima de 60 e apresentavam doenças associadas, o que aumenta a preocupação com esse grupo diante da flexibilização.

“Essa é a população que nos preocupa e não pode estar nas ruas, calçadas de praias, devem estar em casa, porque são são pessoas com maior vulnerabilidade para adquirir a doença, ter complicações e morrer”, alertou.

Medeiros ainda ressaltou que o vírus continua circulando e a falta de cumprimento das medidas de prevenção à doença podem acarretar no aumento do número de casos de coronavírus e, consequentemente, na quantidade de vítimas da doença na Paraíba.

“Esse é um problema que ocorre no mundo inteiro, não só em João Pessoa, mas vimos na Europa e Alemanha a população indo em massa às praias, aglomerando, então essa atitude o vírus não perdoa. Com isso, consequentemente, nós teremos o aumento no número de casos e, infelizmente de mortes, se as pessoas não entenderem que a flexibilização não é que a pandemia acabou ou o vírus foi embora, mas sim, ele está presente e pode contaminar se não forem adotas medidas de restrição sanitária”, destacou.

Ao ser questionado sobre a possibilidade de segunda onda de casos da Covid-19 na Paraíba, o secretário afirmou que o Governo do Estado está preparado, devido a disponibilidade de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

“O Estado está preparado, como esteve ao longo desses cinco meses, sendo um dos poucos estados em que não houve o colapso da rede pública hospitalar e consequentemente nós temos hoje uma posição de ocupação confortável de leitos de UTI e de enfermaria. Estamos preparados para um eventual aumento súbito no número de casos”, declarou.

Comente