Contrariando Bolsonaro, salões e academias seguirão fechados na Paraíba, diz João

Ele afirmou que não há pretensão de modificação antes do fim do decreto, que determina as medidas de isolamento social até o dia 18 de maio

O governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania) e o procurador-geral do Estado, Fábio Andrade se posicionaram contra a inclusão das atividades de salão de beleza, barbearias e academias de esportes na lista de “serviços essenciais”, conforme decreto editado pelo presidente Jair Bolsonaro nessa segunda-feira (11), mesmo durante a pandemia do coronavírus. Portanto, o Estado vai contrariar a normativa do presidente e os serviços não serão abertos na região paraibana.

O chefe do Executivo estadual lembrou que o decreto, que impõe as medidas de isolamento social, termina no dia 18 de maio, mas até lá, serão feitas análises dos dados da Covid-19 na Paraíba. Ele também afirmou que não há pretensão de modificação antes do fim do decreto.

João Azevêdo destacou que o Estado tem registrado alta no número de casos confirmados, o que eleva a preocupação.

“O nosso decreto está previsto que essas medidas de isolamento irão até o dia 18 e que até lá nós fazemos avaliação quase que diária dos dados que se apresentam na Paraíba. E não há pretensão por parte do governo de fazer nenhuma alteração do decreto antes do dia 18. Nós precisamos entender que estamos ainda, no caso da Paraíba, subindo os dados, e isso nos preocupa muito”, afirmou o governador.

Comente