Conselho de Farmácia da PB entra na mira do MPF por pagamentos e contratações suspeitas

Inquéritos civis públicos foram abertos pelo procurador da república Yordan Moreira Delgado e o prazo estipulado para a conclusão das investigações é de um ano

O Conselho Regional de Farmácia da Paraíba (CRF-PB) é alvo de inquérito civil público, instaurado pelo Ministério Público Federal (MPF) para apurar a contratação de
servidores de forma irregular, sem o devido processo seletivo. A decisão que autoriza a investigação foi publicada no Diário Eletrônico do MPF, desta terça-feira (30).

+CG aplicará multa de R$ 20 mil para lojista que deixar cliente entrar sem máscara

A contratação irregular de servidores sem a realização de concurso público pode caracterizar ato de improbidade administrativa, conforme o art. 37, II da Constituição Federal.

Investigação por pagamento de altos salários

Outro inquérito aberto pelo MPF, tem o objetivo de apura suposta irregularidade praticada por parte do CRF-PB no pagamento de altos salários a farmacêuticos vinculados a seu quadro de pessoal, se comparados aos salários pagos aos farmacêuticos lotados em outros locais.

Os dois inquéritos civis públicos foram abertos pelo procurador da república Yordan Moreira Delgado e o prazo estipulado para a conclusão das investigações é de um ano.

 

Comente