O Pix, sistema de pagamento instantâneo do Banco Central, completa um ano de funcionamento no país nesta terça-feira (16). Até o fim de outubro, segundo os dados mais recentes do BC, o Pix tinha 348,1 milhões de chaves cadastradas por 112,65 milhões de usuários. Sistema já movimenta mais de R$ 550 bilhões por mês.

Na Paraíba, entre novembro de 2020 e junho de 2021, houve a movimentação de mais de R$ 246,7 milhões em Pix. O Paraíba Já teve acesso aos dados disponibilizados pelo projeto Fiquem Sabendo e tratou os números relativos ao estado.

Quem lidera o ranking de movimentações por Pix em valores é a capital João Pessoa. Foram mais de R$ 120 milhões pagos pela transferência digital do BC. Os pessoenses movimentaram exatos R$ 120.469.632,34, entre novembro de 2020 e junho deste ano.

Segundo pólo econômico do estado, Campina Grande foi a segunda cidade que mais movimentou em Pix, sendo R$ 40,5 milhões. O município de Cabedelo, na Região Metropolitana de João Pessoa, movimentou pouco mais de R$ 10 milhões. Já Patos e Santa Rita, movimentaram R$ 5,87 milhões e R$ 5,44 milhões, respectivamente.

Bayeux com R$ 4,3 milhões; Cajazeiras com pouco mais de R$ 4 milhões; Mamanguape com R$ 3,8 milhões; Sousa com R$ 3,8 milhões; e Conde com R$ 2,9 milhões, formam as 10 cidades com maior movimentação em valores do Pix.

Confira mapa


O município que registrou a menor movimentação de Pix foi Areia de Baraúnas, com apenas R$ 9.713,33.

Municípios 'milionários'

16 municípios paraibanos apresentam movimentações em Pix superior a R$ 1 milhão. Além do top 10 citado acima, temos: Guarabira (R$ 2,7 milhões); Esperança (R$ 2,7 milhões); São Bento (R$ 1,8 milhão); Sapé (R$ 1,4 milhão); Catolé do Rocha (R$ 1,2 milhão); e Pombal (R$ 1,1 milhão).

Algumas cidades apresentam dados interessantes sobre os montantes movimentados. Como o caso de Esperança, com aproximadamente 33,3 mil habitantes, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatítica (IBGE). A cidade apresentou transações em Pix no valor de R$ 2,7 milhões, ficando à frente de municípios como Sapé - que apresenta PIB maior - e registrou R$ 1,4 milhão.

Além das milionárias, temos municípios como Queimadas com movimentações de quase R$ 900 mil, e Picuí com quase R$ 500 mil.

Questionado sobre essas cidades, Besarria fez uma associação aos grandes centros. "Quanto aos dados financeiros desses municípios, é esperado que o volume financeiro das transações esteja associado a quantidade de transações realizadas nos municípios polos", projetou o economista.

Confira lista detalhada por município

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Sucesso do Pix

De acordo com Cássio Besarria, economista e chefe do Laboratório de Inteligência Artificial e Macroeconomia Computacional (Labimec), o momento de implantação do Pix, que ocorreu em meio à pandemia, também foi responsável pela sua popularização.

"Implantado em um momento em que as medidas de restrições à mobilidade urbana, decorrentes da pandemia da Covid-19, estavam em evidência, esse novo canal de pagamento facilitou a realização de negócios e os impactos imediatos na economia foram: redução do custo de transação, aumento da velocidade em que pagamentos ou transferências são feitos e recebidos e, entre outras coisas, está disponível todos os dias da semana 24 horas", disse o economista.

Volume de transações

Conforme Besarria, além de aumentar a velocidade das transferências, o Pix também tem o potencial de: alavancar a competitividade e a eficiência do mercado; baixar o custo, aumentar a segurança e aprimorar a experiência dos clientes; incentivar a eletronização do mercado de pagamentos de varejo; promover a inclusão financeira; e preencher uma série de lacunas existentes na cesta de instrumentos de pagamentos disponíveis atualmente à população.

Em João Pessoa foram 160.598 transações de Pix, entre novembro de 2020 e junho deste ano.

Já em Campina Grande foram 60.239 movimentações da transferência digital. E, diferente do ranking de valores transferidos, Santa Rita é o terceiro município que mais usou o Pix, com 11. 838 movimentações.

Top 10 - Volume de movimentações:

  1. João Pessoa - 160.598 
  2. Campina Grande - 60.239
  3. Santa Rita - 11.838
  4. Patos - 9.792
  5. Cabedelo - 9.597
  6. Bayeux - 9.250
  7. Guarabira - 5.227
  8. Sousa - 4.493
  9. Cajazeiras - 4.490
  10. Mamanguape - 2.420

Novidades e vantagens

Mecanismo Especial de Devolução foi instalado nesta terça-feira (16)

Entra em vigor nesta terça-feira (16) o Mecanismo Especial de Devolução, que agilizará o ressarcimento ao usuário vítima de fraude ou de falha operacional das instituições financeiras. Até agora, em uma eventual fraude ou falha operacional, as instituições envolvidas precisavam estabelecer procedimentos operacionais bilaterais para devolver o dinheiro. Segundo o BC, isso dificultava o processo e aumentava o tempo necessário para que o caso fosse analisado e finalizado. Com o Mecanismo Especial de Devolução, as regras e os procedimentos serão padronizados.

Outras novidades para o Pix virão em breve. A partir do dia 29 estarão disponíveis o Pix Saque e o Pix Troco, que permitem o saque em espécie e a obtenção de troco em estabelecimentos comerciais e outros lugares de circulação pública.

Agilizar os processos através da tecnologia é um caminho sem volta. A facilidade do Pix segue ganhando atualizações constantes. A eliminação de burocracias é mais um fator que explica a popularização rápida da ferramenta. “Os meios tradicionais de pagamentos, tal como a TED, só podem ser realizados em dias úteis entre às 6h e 17h30min e, em média, temos 256 dias úteis por ano, isso equivale a ter apenas 128 dias no ano para realizar movimentações financeiras. Com o PIX essas negociações estão disponíveis durante 24 horas por dia, sete dias por semana e em todos os dias no ano”, afirma o economista Cássio Besarria.

Segurança

A segurança cibernética é um dos principais fatores controversos do Pix. Os bandidos criam formas de burlar e se aproveitar da ferramenta, e o Banco Central está atento.

Devido aos sequestros-relâmpago e fraudes relacionadas ao Pix, crimes que estão aumentando no país, o BC limitou, em outubro, as transferências a R$ 1 mil entre as 20h e as 6h. Além disso, em caso de suspeita de fraude há o bloqueio, por até 72 horas, do recebimento de recursos por pessoas físicas.

Economista dá dicas para não cair em golpes com Pix

"As mesmas medidas de segurança adotadas nas transações convencionais (TEDs e DOCs), tais como: informações pessoais trafegadas, formas de autenticação e criptografia, entre outras, são adotadas nas transações PIX", comentou o economista.

Besarria ressalta as principais recomendações de segurança:

  • Não clicar em links desconhecidos e recebidos por SMS, WhatsApp ou e-mail
  • Ter cuidado com QR Codes falsos
  • Ficar alerta para golpe da transferência de dinheiro com uso de fotos de amigos ou familiares no WhatsApp.

No fim da semana passada, o BC acelerou as notificações às instituições financeiras que violarem os regulamentos do Pix e diminuiu as situações em que as multas serão isentas.