Com gritos de sem anistia, milhares de manifestantes protestam na Paulista

Com gritos de “sem anistia”, milhares de manifestantes protestaram pela democracia na noite desta segunda-feira (9). Os atos foram uma resposta aos atos terroristas feitos por bolsonaristas golpistas e criminosos que invadiram e depredaram, no domingo (8), o Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Palácio do Planalto, em Brasília.

O ato foi convocado pelas frentes Povo Sem Medo, Brasil Popular e Colisão Negra por Direitos. Torcidas organizadas dos principais times paulistas, Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo, também participaram do protesto. Os manifestantes começaram a chegar ao local por volta das 17h e gritavam “sem anistia e sem perdão, queremos Bolsonaro na prisão”.

O deputado federal Guilherme Boulos (PSOL) discursou durante o ato e mandou um recado ao governador Tarcísio de Freitas (Republicanos): “Tarcísio, não tente, nem passe pela sua cabeça imitar Ibaneis aqui em São Paulo. Nós não vamos deixar. Se golpista tentar invadir a Assembleia Legislativa, e a polícia fizer corpo mole, a gente vai tirar no braço”.

“Nós elegemos o presidente Lula, mas não podemos abrir mão das ruas desses país. Nós vamos derrotar os golpistas também através da Justiça, da intervenção do DF, das ações do governo, mas nós vamos derrotar os golpistas não deixando que eles tomem as ruas no nosso lugar. Agora é lutar, tomar as ruas para que a gente garanta que não tenha anistia”, emendou.

No domingo (8), Tarcísio condenou os atos de terrorismo praticados por bolsonaristas e afirmou que “não admitiremos isso em São Paulo”. “Para que o Brasil possa caminhar, o debate deve ser o de ideias e a oposição deve ser responsável, apontando direções. Manifestações perdem a legitimidade e a razão a partir do momento em que há violência, depredação ou cerceamento de direitos. Não admitiremos isso em SP!”, disse.

Multidão faz protesto contra ataques antidemocráticos de bolsonaristas em Brasília — Foto: Fábio Tito/g1

Multidão faz protesto contra ataques antidemocráticos de bolsonaristas em Brasília — Foto: Fábio Tito/g1

Manifestantes fazem ato pela democracia e contra a anistia de bolsonaristas que destruíram prédios em Brasília — Foto: Reprodução/TV Globo

Manifestantes fazem ato pela democracia e contra a anistia de bolsonaristas que destruíram prédios em Brasília — Foto: Reprodução/TV Globo

Os manifestantes pedem que não haja anistia aos responsáveis pelos ataques terroristas contra as sedes dos três poderes em Brasília, e que os golpistas sejam punidos pela Justiça e exibiam cartazes pedindo paz e democracia.

O deputado federal Eduardo Suplicy (PT) discursou em um dos carros de som que estão no ato segurando um exemplar da Constituição de 88.

Eduardo Suplicy discursando com um exemplar da Constituição de 88.  — Foto: Reprodução/ Instagram

Eduardo Suplicy discursando com um exemplar da Constituição de 88. — Foto: Reprodução/ Instagram

Até 18h30, os dois sentidos da avenida estavam totalmente ocupados, na altura do Masp. Segundo a SPTrans, 23 linhas de ônibus foram desviadas por conta da manifestação. Segundo a CET, seis quadras da Avenida Paulista foram interditadas nos dois sentidos.

Manifestantes cantam paródia da música ‘Bella, ciao’ com o refrão “é com cadeia, é com Justiça, vamos prender esses fascistas”.

Grupos fazem manifestação na Avenida Paulista em SP — Foto: Reprodução/Globocop

Grupos fazem manifestação na Avenida Paulista em SP — Foto: Reprodução/Globocop

Nesta segunda, chefes dos poderes divulgaram uma nota conjunta em que dizem “rejeitar” os atos terroristas de bolsonaristas radicais e pedem à população a “defesa da paz e da democracia”.

A nota é assinada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva; pelo presidente do Senado em exercício, Veneziano Vital do Rêgo; pelo presidente da Câmara, Arthur Lira; e pela presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber. Do g1.