Com caso Flordelis, 73% dos julgados no Conselho de Ética da Câmara são bolsonaristas

Alguns aliados respondem a mais de um processo, como o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), alvo de três representações

O inevitável processo que será aberto contra a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) no Conselho de Ética deixa o colegiado marcado por bolsonaristas como investigados. São eles os principais processados no conselho. Ao todo, 16 dos 22 casos abertos no Conselho de Ética na atual legislatura, incluída já a parlamentar fluminense, são de aliados do atual governo, o que representa um percentual de 73%.

Alguns aliados respondem a mais de um processo, como o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), alvo de três representações.

Os outros bolsonaristas alvos do conselho são Coronel Tadeu (PSL-SP), Carla Zambelli (PSL-SP), Daniel Silveira (PSL-RJ), José Medeiros (Podemos-MT), Carlos Jordy (PSL-RJ), Filipe Barros (PSLPR), Bibo Nunes (PSL-RS) e Alê Silva (PSL-MG).

A deputada Flordelis é acusada de mandar matar o seu marido, o pastor Anderson do Carmo. De acordo com o inquérito policial do Rio, o pastor foi morto por questões financeiras. Ele controlava todo o dinheiro do Ministério Flordelis, atualmente rebatizado Comunidade Evangélica Cidade do Fogo.

Pelo menos oito pessoas foram presas pelo envolvimento no crime. Flordelis foi uma das 11 pessoas denunciadas pelo Ministério Público do Rio (MP-RJ).

Do Brasil 247.

Comente