Cidadania de Patos repudia infidelidade de deputado Érico e pode solicitar seu mandato na Comissão de Ética

No texto, o presidente municipal da legenda repudia a decisão do deputado estadual, doutor de ter declarado apoio ao candidato pelo Patriotas, o juiz Ramonilson

O Cidadania de Patos, presidido pelo presidente da Fundação Ernani Satyro, Adolpho Crispim, emitiu nota neste domingo (11), repudiando a decisão do deputado estadual, doutor Érico Djan, de contrariar a decisão da Executiva estadual da legenda e declarar apoio ao candidato pelo Patriotas, o juiz Ramonilson.

A determinação do Cidadania, aprovada em convenção partidária, é de apoiar o nome do deputado Nabor Wanderley, para a disputa à Prefeitura de Patos.

Em contato mantido hoje pela manhã com o presidente estadual da legenda, Ronaldo Guerra, Adolpho Crispim disse que está avaliando a possibilidade de acionar o deputado no Conselho Estadual de Ética do partido solicitando o seu mandato para a primeira suplente Rafaela Camaraense, pelo fato de tratar-se de um deputado, alegando que ele cometeu infidelidade ao não apoiar o candidato defendido pelo partido do governador João Azevedo na cidade de Patos.

Confira nota na íntegra

O partido Cidadania vem por meio desta Nota repudiar a postura incoerente do filiado deputado estadual Dr. Érico, que contrariou as decisões do partido na cidade de Patos e a orientação da Executiva estadual.

O deputado Érico, em nota, declarou apoio à candidatura do Partido Patriotas, ferindo as determinações aprovadas em convenção pelo Partido Cidadania, atendendo decisão tomada pelo partido no Estada em apoiar o nome do deputado Nabor Wanderley para prefeito de nossa cidade.

Antes de tomarmos esta decisão em apoiar Nabor, vale lembrar que o nosso partido deu total apoio a Dr Érico para sua candidatura, porém, em carta aberta, o mesmo desistiu sem qualquer justificativa lógica dias depois de ter se reunido e recebido o apoio do governador João Azevêdo, frustrando as expectativas do eleitorado e o crescimento do partido em nossa cidade.

Reafirmamos que o deputado tem responsabilidades com o povo que o elegeu e também com a legenda que lhe deu abrigo e possibilitou sua chegada à Assembleia, fato que não teria ocorrido pelo partido ao qual estava filiado antes de entrar no Cidadania (antigo PPS). Tais responsabilidades são elos que jamais poderiam ter sido quebrados. Pois interesses pessoais não podem ficar à frente do coletivo, principalmente quando exercemos cargos eletivos.

Adolpho Sousa Crispim
Presidente do Cidadania em Patos PB

Patos, 11 de outubro de 2020