- Publicidade -
Política

“CG precisa de uma gestão que entenda o que o povo precisa”, diz Galdino

O candidato à Prefeitura de Campina Grande pela coligação “Pra Mudar Campina”, Adriano Galdino, defendeu maiores investimentos nos equipamentos de baixa, média e alta complexidade e disse que a saúde da Rainha da Borborema precisa ser reestruturada. No seu programa de governo são contemplados investimentos nos postos de saúde, nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e na rede de assistência psicossocial, além de garantir a criação de equipamentos de saúde específicos para homens, mulheres e pessoas com deficiência.

- Continua depois da publicidade -

“Campina precisa de uma gestão que compreenda o que o povo mais precisa e que planeje os investimentos da cidade para atender às necessidades da população. Vamos criar novos equipamentos para que o povo possa contar com o poder público quando mais precisar. Uma mãe de família que está com o filho doente precisa encontrar o posto de saúde aberto, com medicamentos e profissionais preparados. Hoje não se consegue nem remédio para febre. Isso é resultado da falta de planejamento”, disse Adriano.

Investir na rede de urgência e emergência de Campina é uma das prioridades do programa de governo de Adriano. Uma das propostas é implantar mais duas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) 24h de Porte I, abrangência de 50 mil habitantes, em parceria com o Governo Federal, e concluir a UPA de Porte II (100 mil habitantes).

Para o SAMU, Adriano propõe a ampliação do quadro de ambulâncias para socorro em casos de urgência, colocando duas unidades para atendimentos de menor complexidade e duas ambulâncias preparadas para atendimentos de maior complexidade, as chamadas UTIs móveis, equipadas com o sistema de Tele-Eletrocardiografia Digital, tecnologia que ajuda a salvar vítimas de doenças cardiovasculares graves, como infarto e arritmia.

Adriano explicou que além de investir em novos equipamentos, é preciso investir no aparelhamento das unidades e qualificação dos profissionais. “Precisamos equipar os postos de saúde com equipamentos, materiais e medicamentos para atendimento às urgências, como determina a normatização do Ministério da Saúde. Vamos também qualificar todo o pessoal da saúde no atendimento às urgências, com treinamento específico para os servidores nas Unidades Básicas de Saúde, UPA’s, ambulatórios e hospitais”, destacou.

O plano de governo para saúde ainda propõe a criação do Núcleo de Educação Permanente (NEP), com orçamento definido para Rede de Urgência e Emergência, e a ampliação para 10 equipes o Programa Melhor em Casa, serviço de atenção domiciliar aos que precisam de atendimento e não podem se deslocar até as unidades

A rede de atenção psicossocial também está contemplada no plano de governo da coligação “Pra Mudar Campina”. Além de reestruturar os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) existentes, a proposta é ampliar as unidades, construindo mais dois centros em parceria com a União.

Equipamentos específicos para mulheres e homens

Serão criados equipamentos de saúde especializados nos atendimentos para a população feminina e masculina. Para as mulheres, o plano de governo prevê a criação da Unidade de Referência da Saúde da Mulher, com foco na prevenção das doenças e na promoção da saúde, com especial cuidado ao câncer de colo de útero e de mama.

Para os homens, será criado o Programa “Saúde do Homem”, para cuidados específicos no formato e nas faixas etárias preconizadas pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial de Saúde, com foco nas ações de conscientização sobre os cuidados necessários à população masculina.

O Programa pretende oferecer tratamento ambulatorial diretamente relacionado à promoção da saúde do homem: vasectomia, para o planejamento familiar; disfunções sexuais; hiperplasia (dilatação) prostática benigna (HPB) e câncer de próstata e câncer de pênis, além de garantir recursos financeiros para ampliar o número de procedimentos de Diagnose e Terapia, voltadas para a prevenção de neoplasias malignas do homem.

Pessoas com deficiência

Dentro do programa de governo de Adriano estão contempladas as políticas públicas para as pessoas com deficiência. O projeto prevê a implantação do Centro de Referência da Pessoa com Deficiência de Campina Grande (CER) e a integração da AACD à rede hospitalar municipal, para que possam ser realizadas as intervenções cirúrgicas necessárias à recuperação dos pacientes. O programa garante também o recebimento de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção aos portadores de deficiência, além de definir e acompanhar a readequação física das unidades de saúde para garantia do acesso das pessoas com deficiência.

Comente

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
E-mail: [email protected] | WhatsApp: (83) 98176 - 1651

Artigos relacionados

Fechar