Cássio admite retenção de recursos e sai em defesa de ministro aliado

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB), em entrevista ao Paraíba Já, na manhã desta segunda-feira (13), repercutiu a nota do ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB), sobre a retirada de recursos, na ordem de R$17,8 milhões, destinados à obra do viaduto Eduardo Campos, popularmente conhecido como “Viaduto do Geisel”.

Cássio explicou que não houve bloqueio da verba, mas que a liberação do valor será de acordo com a medição da obra. O senador ainda, implicitamente, admitiu o que tinha argumentado o ministro das Cidades em nota, de que o governador Ricardo Coutinho (PSB) teria privilégios no governo da presidente afastada Dilma Rousseff (PT) e teria usado isso para conseguir a verba do “viaduto do Geisel”. Cássio exemplificou isto falando da obra de drenagem que vem sendo feita em Guarabira, que está sem receber verba do Governo Federal há alguns meses.

“Não houve bloqueio. O ministério fará a liberação do que está medido no valor de 3,8 milhões. Em Guarabira, por exemplo, uma importante obra de drenagem, com valor muito inferior, algo em torno de R$ 480 mil, está sem receber há mais de sete meses”, argumentou.

Mesmo com a retirada de um valor significativo, de uma obra importante para a população de João Pessoa, Cássio deixou claro que os senadores paraibanos vêm trabalhando em conjunto pelo bem do Estado, diferente do que prega o governador Ricardo Coutinho.

“Os três Senadores da Paraíba, ao contrário do que afirma o Governo, vem trabalhando de forma coesa na defesa do Estado. É o que tenho a dizer. Não vou entrar nesse jogo”, finalizou.

Comente