Casos dobram em 7 dias, mas CG ‘vive normalmente’ em preparação para feriadão; assista

Nos últimos sete dias, Campina Grande apresentou um aumento de 100% no número de infectados pelo coronavírus e 50% em casos de óbitos

Nas vésperas do “feriadão” decretado pela Prefeitura de Campina Grande, em medida emergencial de saúde pública para combater o crescimento nos casos da covid-19, circula nas redes sociais imagens de superlotação nas ruas centrais e comerciais que, provavelmente, foram registradas nesta sexta-feira (29) no município.

+Caixa abre 35 agências na PB neste sábado para pagamento do auxílio; veja lista

Nos últimos sete dias, Campina Grande apresentou um aumento de 100% no número de infectados pelo coronavírus e 50% em casos de óbitos. Segundo o boletim epidemiológico da Secretaria do Estado da Saúde (SES), o município contém cerca de 95% dos leitos de Unidade de terapia intensiva (UTI) ocupados e 82% das enfermarias.

+Covid-19: Grande João Pessoa terá ‘lockdown’ a partir do dia 4 de junho; saiba detalhes

Para barrar o aumento nos casos de covid-19 na cidade, foi publicado no Semanário Oficial do Município o decreto do “feriadão” que se inicia no sábado (1) e segue até quarta-feira (3). De acordo com o prefeito Romero Rodrigues (PSDB), a decisão foi tomada como medida de endurecimento do isolamento social, no entanto, as imagens nas redes mostram que a população não tem respeitado.

A antecipação dos feriados de São João (24 de junho), Fundação da Paraíba (05 de agosto) e Corpus Christi (11 de junho) foi determinada pela prefeitura na quarta-feira (26). Conforme o decreto, considerando as mudanças realizadas na quinta-feira (28), o mercado público, feiras livres, transporte público e o comércio devem funcionar até às 14 horas.

A incidência do vírus por 100 mil habitantes na cidade de Campina Grande é de 29,6% como mostra o levantamento realizado pela plataforma de monitoramento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com isso, a superlotação que houve na cidade, contradizendo o isolamento social, pode ocasionar a proliferação em massa do coronavírus e consequentemente, o colapso da rede pública de saúde.

Veja vídeo

Comente