Caso Padre Zé: audiência de instrução contra Padre Egídio reinicia nesta quinta

Primeira audiência foi suspensa no dia 20 de maio. Devem ser ouvidas novas testemunhas de defesa e os réus

São réus no processo o próprio padre Egídio, que é o ex-diretor do Hospital Padre Zé, e também a e-diretora Jannyne Dantas Miranda e Silva e a ex-tesoureira Amanda Duarte da Silva Dantas. Os três são investigados investigados por suspeita de envolvimento em esquema de desvio de recursos e fraudes na gestão da unidade hospitalar, em João Pessoa.

Nesta quinta-feira (13) devem ser ouvidas novas testemunhas de defesa e os réus. As defesas dos três réus, inclusive, disseram que eles vão participar da audiência de forma remota, mas especificamente a defesa de Amanda Duarte diz que vai pedir o adiamento da audiência, alegando que não vem tendo o devido acesso aos autos apresentados pelo Ministério Público da Paraíba.

No dia 20 de maio, sete pessoas já haviam sido ouvidos, sendo eis apresentadas pelos réus e uma testemunha de acusação. Foram elas: uma contadora do Padre Zé (arrolada pelo MP), dois porteiros do Padre Zé, dois funcionárias do hospital, Dom Delson (arrolado pela defesa do Padre) e Samuel Segundo, ex-funcionário do hospital. Depois desses depoimentos, chegava a vez dos réus serem ouvidos, mas a defesa do padre insistiu em depoimentos de testemunhas das quais ele ainda tinha direito, o que forçou o adiamento.

Segundo processo em relação ao Padre Zé

Existe um segundo processo contra os mesmos réus e também contra o empresário João Diógenes de Andrade Holanda, sob a acusação de compra fraudulenta de computadores por parte do Hospital Padre Zé. A audiência de instrução estava marcada para 27 de maio, mas acabou adiada depois que a Justiça acolheu algumas questões de ordem levantadas pela defesa do empresário. Ainda não existe uma nova data para que a audiência seja realizada, já que isso depende da análise das questões acatadas e que seguem pedentes.