Caso Lagoa: PMJP superfaturou em R$ 4 milhões obra de muro de proteção, revela MPF

O Ministério Público Federal na Paraíba, na denúncia contra o ex-secretário de Infraestrutura da Prefeitura de João Pessoa (PMJP) e atual coordenador do Patrimônio Cultural Cássio Andrade e mais cinco pessoas pelo crime de peculato referente ao Caso Lagoa, aponta superfaturamento de 81% no valor do novo muro de proteção do Parque da gestão Cartaxo.

De acordo com o procurador, que usou como base perícia da Polícia Federal, a obra custaria R$ 2.606.962,10, mas foram pagos R$ 4.627.035,22, mais de R$ 2 milhões do valor original.

+ Caso Lagoa: MPF denuncia auxiliar de Cartaxo, servidores da PMJP e mais 2 por desvio de recursos públicos

Porém, com a realização de um lado complementar feito após as 5ª e 6ª medições, chegou-se ao valor de R$ 2.911.533,53 de superfaturamento. Ou seja, ao fim, a PMJP pagou cerca de R$ 5.5 milhões à Compecc, empresa de engenharia responsável pela obra.

Com o valor corrigido pela inflação de outubro de 2018, o superfaturamento, avaliado inicialmente em R$ 2,9 mi, chegou ao patamar de R$ 4.053.429,56.

Confira o documento: