Cartaxo pede mais dinheiro para gabinete e base na CMJP quer aprovar atropelando trâmites

O ex-líder da oposição na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), Leo Bezerra (PSB), acusou a base governista de mais um atropelo na votação de um projeto de lei que direciona créditos suplementares no valor de R$ 928 mil para o gabinete do prefeito Luciano Cartaxo (PV). Segundo o socialista, sequer os vereadores puderam ter acesso ao texto do projeto, pois ele não foi disponibilizado no Sistema de Apoio ao Processo Legislativo (SAPL), plataforma online que auxilia os vereadores a terem acesso aos projetos que tramitam na Casa.

“É um crédito especial para diárias, passagens e despesas com locomoção, serviços de consultoria, serviços de terceiros, de tecnologia da informação, de comunicação, de pessoa jurídica. São vários itens de uma matéria que foi votada em tempo recorde. Eu não acesso à matéria, não tive como ver o projeto por problemas, queiro crer, técnicos, que ainda serão debatidos nesta Casa”, disse.

Leo Bezerra disse que o líder do governo, Fernando Milanez (PTB), disse na CCJ, onde a matéria passou durante a reunião dessa segunda-feira (3) que os recursos eram para viabilizar o aporte financeiro do empréstimo obtido pela gestão de Cartaxo junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Entretanto, pelo que ele interpretou, seria justamente o contrário.

“Vi que, pelo contrário, o prefeito de João Pessoa retira dinheiro do BID. Não consigo entender. O discurso da Prefeitura Municipal de João Pessoa é que esses recursos colocados no gabinete do prefeito serão para diárias, passagens e para aquisições de imóveis, no valor de R$ 900 mil. A dificuldade é tamanha, que não conseguimos entender o que o prefeito quer fazer com esse dinheiro. Ao contrário da fala da PMJP, está retirando 18 mil e 422 reais do dinheiro do BID”, alegou.

Ele voltou a citar que o projeto de lei, que está tramitando com urgência urgentíssima, tem trechos confusos que confundem o jurídico dos vereadores e, consequentemente, a população. A matéria deve ser votada na sessão ordinária desta quarta-feira (5).

“Se eu tiver errado, que me corrijam. Mas se eu tiver errado, se nós estivermos errados, com o papel na mão, com o projeto, temos dificuldade de entender o que Prefeitura quer, quem dirá o cidadão que está trabalhando de manhã, de tarde e até às vezes à noite para colocar o pão de cada dia em sua mesa”, lamentou.

G1 na CMJP

O vereador do PSB concluiu dizendo que impera uma espécie de “G1” na CMJP, com o líder do governo Fernando Milanez tratorando todos os outros vereadores.

“Nos últimos remanejamentos foram tirados dinheiro do Santa Izabel, do Trauminha, do Fundo de Combate à Pobreza. Aí eu tenho certeza que a maioria dos vereadores que votaram essa matéria, capitaneados pelo líder da situação vereador Fernando Milanez, sabem explicar. Muito complicado. O G1 toma conta dessa casa. O vereador Milanez, que é relator da matéria, ele bate o escanteio e corre para a área para cabecear sozinho”, ironizou.

Confira trecho do projeto de lei:

Comente