Campina Grande já foi 12º cidade mais populosa do Brasil, aponta IBGE

(Foto: Emanuel Tadeu/Arquivo Pessoal)

O município de Campina Grande figurou por 35 anos entre as cidades mais populosas do Brasil, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE). A entidade divulgou, nesta terça-feira (17), um gráfico mostrando a evolução populacional dos 20 maiores municípios do Brasil desde o primeiro censo há 147 anos.

A Rainha da Borborema chegou a ser o 12º município mais populoso do país, fato que aconteceu em 1950. A cidade figurou no ranking histórico entre 1928 e 1962.

O primeiro recenseamento geral aconteceu em 1872, enquanto os dados mais recentes são de 2019.

A ascensão da cidade ao seu maior posto no ranking está diretamente ligado ao fator econômico, bem como sua capacidade vanguardista no setor tecnológico. O algodão é um exemplo.

O algodão e o ‘boom populacional’

No início do século XX, Campina Grande teve no algodão sua principal atividade para ocasionar o crescimento da cidade. A produção atraiu comerciantes de todo Nordeste. Até a década de 1940, a Rainha da Borborema era a segunda maior exportadora do produto do mundo, perdendo apenas para Liverpool, na Inglaterra. Inclusive, por isso, Campina Grande já foi chamada de “Liverpool brasileira”.

Uma curiosidade é que o município não tinha plantação de algodão. Apesar de não produzir, Campina era a única cidade do interior do Brasil que possuía uma máquina de beneficiamento do produto. A matéria prima vinha de cidades produtoras próximas.

Como consequência de ser um importante pólo econômico do estado e da região, Campina Grande viu crescer vertiginosamente sua população neste período. De 20 mil habitantes em 1907, ela saltou para 130 mil habitantes em 1939. Isso representa um crescimento de 650% em apenas 32 anos. Para efeito de comparação, João Pessoa só chegou a possuir uma população equivalente na década de 1950.

Foi justamente no fim da década de 1940, mais precisamente no ano de 1949, que Campina Grande atingiu seu melhor índice no ranking histórico da evolução populacional, com um 12º lugar.

Diz aí, IBGE

“A ideia era estudar quais seriam os principais municípios em momentos diferentes. Foi um período de rápida transformação de perfil, de agrário para urbano, de uma população distribuída em pequenas vilas, para concentrada em grandes cidades”, explica o demógrafo do IBGE, Márcio Minamiguchi.

Ele acrescenta que os maiores municípios estavam no interior dos estados e detinham grande área territorial e população predominantemente rural, com um pequeno centro urbano onde estava localizada a sede municipal.

Até a década de 1930, Minas Gerais tinha o maior número de municípios entre os 20 maiores, até ser ultrapassado pelo estado de São Paulo. Belo Horizonte, fundada em 1897, começa a ganhar destaque em 1920, chegando a ser a terceira maior cidade na década de 1960.

Já a ascensão da cidade de São Paulo, superando o Rio de Janeiro em 1952, foi marcada por um período de forte crescimento econômico.

Além do crescimento de São Paulo e das demais capitais, o gráfico permite visualizar a formação de grandes aglomerados urbanos e o processo de metropolização, como no caso dos municípios de Guarulhos, Nova Iguaçu e Duque de Caxias, que tiveram rápido crescimento em meados do século XX.

Confira as 20 cidades mais populosas em 2019

  1. São Paulo
  2. Rio de Janeiro
  3. Brasília
  4. Salvador
  5. Fortaleza
  6. Belo Horizonte
  7. Manaus
  8. Curitiba
  9. Recife
  10. Goiânia
  11. Belém
  12. Porto Alegre
  13. Guarulhos
  14. Campinas
  15. São Luís
  16. São Gonçalo (RJ)
  17. Maceió
  18. Duque de Caxias (RJ)
  19. Campo Grande
  20. Natal

Comente