Câmara Itinerante nota diferenças estruturais em unidades educacionais de JP

Visita dos vereadores da CMJP, nesta quarta-feira (3) contemplou a escola Ana Cristina Rolim Machado e a creche Rebeca Cristina Alves Simões

A situação das unidades de ensino da Capital foi avaliada pelos parlamentares da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) na segunda ação do Câmara Itinerante, que aconteceu na manhã desta quarta-feira (3). Diferentes realidades estruturais foram encontradas pelos parlamentares em visita à Escola Municipal de Ensino fundamental Ana Cristina Rolim Machado e ao Centro de Referência em Educação Infantil (CREI) Rebeca Cristina Alves Simões, ambas localizadas no bairro de Mangabeira.

A diretora pedagógica Claudeilza Nóbrega afirmou que as aulas da escola Ana Cristina Rolim Machado começarão na próxima semana ainda de forma remota, com uso de tecnologias, mas com previsão de implantação do ensino presencial de forma gradativa. “O novo modelo de gestão da Prefeitura é voltado para o uso de tecnologias, ferramentas sobre as quais lançou-se mão neste momento de pandemia e que vamos ter que, daqui para frente, utilizar constantemente” afirmou a diretora, incluindo que a Prefeitura dispõe de 300 tablets e também está firmando parcerias com emissoras de televisão como mais um meio de proporcionar as aulas de forma remota.

Para a vereadora Eliza Virgínia (Progressistas), o estado da escola é preocupante. “A estrutura da escola está crítica, sem banheiros e cobertura nas passarelas. Se chover, será impossibilitado o trânsito de alunos e servidores entre um setor e outro. Sem energia elétrica e encanação hidráulica com problemas. A escola é grande, bonita, agradável, mas os serviços nela foram abandonados. A gente vai ver questões sobre a reforma necessária para que as aulas possam voltar e seus alunos possam retornar às atividades escolares”, avaliou a vereadora enfatizando que o intuito dessas visitas não é denunciar, mas contribuir com a gestão na promoção de melhorias.

“Fiquei surpreso quando soube que, das quase 100 escolas, quase 50% estão impossibilitadas de receber estudantes, quando nas escolas particulares, quase todos os alunos já voltaram às aulas. Este não pode ser mais um fator de desigualdade. A Prefeitura vai fazer com que, da forma mais simples e mais ágil, as escolas estejam habilitadas para receber os alunos, a fim de que os eles voltem a estudar e os professores possam dar aulas em um panorama mais positivo para a Educação da Capital”, frisou o vereador Thiago Lucena (PRTB).

Já o CREI Rebeca Cristina Alves Simões, é um equipamento novo que tem uma estrutura de qualidade, mas por atender crianças de zero a três anos, ainda não foi autorizado pela gestão a voltar com trabalhos presenciais. “Diante de uma pandemia na qual nos afastamos de nossas crianças, ainda estamos estudando como voltar de forma remota. Com a chegada da vacina para os profissionais da educação, vamos adaptar a volta das crianças aos poucos na forma presencial. No momento, continuaremos abertos para atendimento dos pais e entrega dos kits com a alimentação”, afirmou a diretora do Crei, Rosélia Azevedo.

“No Crei Rebeca, tivemos uma satisfação em ver um equipamento público que tem um serviço ofertado de alta qualidade. É uma creche-modelo bastante qualificada, limpa, sanitizada, pronta para ser utilizada pelos pequenos pessoenses. A educação infantil era algo forte na gestão anterior e tenho certeza que Cícero Lucena terá esse mesmo olhar na educação infantil. Dentro da mesma cidade, encontramos realidades divergentes entre as escolas”, avaliou o vereador Bosquinho (PV).

Marcílio do HBE (Patriota) destacou que, apesar da boa infraestrutura da escola, ela ainda precisa ser adaptada com as normas sanitárias e de distanciamento social para o retorno escolar. “O Crei Rebeca está ttoalmente bem equipado, mas precisa se adequar à nova realidade de retorno das atividades. Faltam sinalizações e espaços reservados. Precisamos monitorar os equipamentos para mantê-los seguros e adequados a essa volta às aulas. É segurança para servidores, estudantes e pais”, destacou o vereador.

O vereador Carlão (Patriota) lamentou que as unidades escolares da Capital ainda estejam sem atividades. “Vimos com tristeza escolas fechadas. Crianças e jovens foram os menos contaminados. Não tem sentido as escolas estarem fechadas, perdemos um ano letivo de conhecimentos. Era preciso que neste momento, Educação, Esporte e Saúde caminhassem juntos para minimizar os efeitos da pandemia e a população não sofresse tanto. Estamos atentos ao que a Prefeitura faz, fiscalizando e elaborando as leis da cidade para a melhoria da qualidade de vida do pessoense”, afirmou o vereador Carlão

Ainda estiveram presentes nas visitas os vereadores: Odon Bezerra (Cidadania), Bispo José Luiz (Republicanos), Guga (PROS), Coronel Sobreira (MDB) e Bruno Farias (Cidadania).

Nesta quinta-feira (4), o Câmara Itinerante continua. Desta vez com a pauta Saúde. Parlamentares vão visitar Unidades Básicas de Saúde e o Centro de Armazenamento de Vacinas. Na próxima terça-feira (9), a visita será ao Largo de Tambaú e à barreira do Cabo Branco, com a discussão do ordenamento da orla e a preservação da falésia.