Cagepa faz mutirão de fiscalização em Cabedelo para coibir furto d’água

Cagepa faz mutirão de fiscalização em Cabedelo para coibir furto de água
Foto: ACM/Cagepa

A CagepaCompanhia de Água e Esgotos da Paraíba – inicia na próxima segunda-feira (8) um mutirão de fiscalização nas praias de Cabedelo, como Camboinha, Formosa, Ponta de Campina e Intermares.

Os imóveis que estiverem furtando água ou utilizando a rede de abastecimento indevidamente serão notificados e autuados. A ação tem o objetivo de normalizar a distribuição de água na área, que vem sofrendo intermitências causadas por esse tipo de irregularidades.

De acordo com o diretor de Operação e Manutenção da Cagepa, Thiago Pessoa, os moradores já vinham reportando à Cagepa sobre a falta de abastecimento na região, no entanto, a companhia não identificou qualquer problema técnico-operacional que justificasse a falta d’água.

“Após alguns dias de investigação feitos pela equipe de pitometria, verificando os níveis de pressão na rede de água em tempo real, descobrimos a instalação de uma bomba na rede ao lado do hidrômetro (medidor de água) em um imóvel. Esse equipamento estava ‘puxando’ a água da rede, criando uma pressão negativa e fazendo com que os vizinhos ficassem sem água. Acreditamos que isso pode estar sendo feito em outros pontos da região”, explicou.

Instalar bomba na rede é crime, uma vez que provoca o desequilíbrio do sistema de abastecimento e falta de água nos bairros. “Iniciaremos esse mutirão com a equipe comercial e de operação da Cagepa justamente para coibir esse tipo de prática, já que aquela área possui alta demanda de abastecimento neste período de férias”.

A população também pode contribuir. Quem perceber bombas instaladas na rede de abastecimento pode denunciar imediatamente o fato à polícia ou à própria Cagepa, pelo teleatendimento 115 ou por qualquer um dos demais canais de atendimento da Companhia. “A fraude causa prejuízo financeiro à Cagepa, mas o prejuízo maior é a população ficar sem abastecimento por causa da ação irregular de uma pessoa em benefício próprio”, argumenta Thiago Pessoa.

Furto de água é crime

A prática de adulterar o sistema de fornecimento de água é enquadrada como atentado contra o patrimônio, segundo o artigo 155 do Código Penal Brasileiro. De acordo com a lei: “Art. 155. Subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel: Pena – reclusão, de 1 a 4 anos, e multa.”

Denúncias de irregularidade no consumo de água podem ser feitas, de forma anônima, nos canais de atendimento da Companhia. Basta ligar para o número 115; a ligação é gratuita e pode ser realizada de telefone celular. Ou ainda pelos demais canais de atendimento: WhatsApp (83) 98198-4495, no site cagepa.pb.gov.br e aplicativo Cagepa, disponível no Google Play e App Store.