Cabo Gilberto diz que não ignora Famintos em possível apoio a Romero em 2022

Deputado afirmou que desejo é um candidato do partido, mas decisão deve ser tomada em grupo. Ideia é unir ainda mais os grupos conservadores do estado

Em entrevista ao programa F5, da 89 Rádio POP na sexta-feira (19), o parlamentar paraibano do PSL, Cabo Gilberto, comentou sobre as articulações políticas para o pleito eleitoral ao Governo da Paraíba, em 2022.

Na ocasião, o deputado afirmou que a legenda deseja lançar um candidato, porém, caso não seja possível, seu voto será vencido e o ex-prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD) deve disputar a chefia estadual.

“Iremos lançar um candidato se tivermos o controle do partido aqui na Paraíba. Mas se porventura, lá na frente, vier uma união de forças e todos convergirem de pôr a [candidatura] de Romero, aí serei voto vencido”, declarou.

Em relação às investigações que cercam o grupo de Romero na Operação Famintos, ele afirmou que não ignora a situação, e caso seja comprovado corrupção, será o primeiro a chamar de ladrão.

Quando questionado se ele poderia ser escolhido pelo presidente para a disputa, o deputado ressaltou que a decisão será tomada em grupo, com o objetivo de encontrar um nome que consiga unir mais os grupos conservadores estaduais.

Ao comentar sobre a união com outros conservadores paraibanos visando o pleito em 2022, como o deputado federal Julian Lemos (PSL) e o deputado estadual Wallber Virgolino (Patriota), Gilberto afirmou que Julian não estará no grupo, pois faz oposição ao presidente.

O parlamentar ainda enfatizou que irá se manter ao lado do presidente Jair Bolsonaro.

“Só abandono o presidente se ele cometer alguma corrupção. Se ele tiver 1% de aprovação da população, se mantendo fiel aos seus princípios, como até o momento vem se mantendo, ficarei ao lado do presidente até quando Deus permitir”, pontuou.

Assista a entrevista na íntegra a partir de 20:03 minutos no vídeo abaixo: