Bolsonaro polemiza com o Nordeste em entrevista na Argentina

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e seu filho Eduardo marcaram presença em Buenos Aires, na Argentina, para a posse de Javier Milei. Aproveitando a estadia no país vizinho, Bolsonaro não deixou de lado sua inclinação para entrevistas polêmicas, repletas de preconceito e discursos conspiratórios. Tudo isso com muita falta de conhecimento.

No último sábado (9), pai e filho participaram de uma entrevista em uma rádio portenha. Lá, demonstraram preconceito e ignorância em relação ao Nordeste brasileiro, conforme relato da coluna de Paulo Cappeli no portal Metrópoles.

Durante a entrevista ao vivo para o público argentino, Bolsonaro afirmou que os “nordestinos fogem para São Paulo por causa da esquerda”. Essa declaração, além de ser infundada, revela um total desconhecimento da história do Brasil e uma distorção dos fatos.

O ex-presidente alegou que a cidade com a maior concentração de nordestinos no Brasil é São Paulo, localizada no Sudeste. Segundo Bolsonaro, isso teria ocorrido nos últimos 20 anos devido às “más administrações” esquerdistas no Nordeste.

“A maior cidade do país do Brasil que contém nordestinos é São Paulo. Por que São Paulo tem tanto nordestino? Porque eles fogem dos seus estados, que não têm perspectiva, não oferecem meios, e a pobreza sempre se faz presente”

, afirmou Bolsonaro durante a entrevista.

O ex-presidente ainda acrescentou: “Há 20 anos o PT, naquela região, no Nordeste, os estados são administrados pela esquerda. Devia ser a melhor região do país e não é. E quando chegam em outros estados, continuam votando no PT”.

Por que Bolsonaro tem tanto preconceito com o Nordeste?

No entanto, a explicação de Bolsonaro revela uma compreensão equivocada e simplista dos motivos por trás da migração nordestina. A migração em direção ao Sudeste ocorre há muito mais de 20 anos e é impulsionada por diversos fatores, incluindo a industrialização em São Paulo desde a década de 1930.

Além disso, Bolsonaro ignorou conquistas importantes dos governos de esquerda nos últimos 20 anos, como a redução dos índices de fome e insegurança alimentar na região Nordeste, bem como a implementação da transposição do rio São Francisco para combater os efeitos das secas.

A entrevista de Bolsonaro reforça não apenas sua desinformação, mas também seu posicionamento extremista ao declarar que a esquerda não são apenas opositores, mas sim “inimigos”. Esse tipo de retórica polarizada é característica do proselitismo de extrema-direita, alimentando divisões no cenário político.

Do NE9