Bolsonaro desiste de subsidiar conta de luz de igrejas e frustra evangélicos

Bolsonaro desiste de subsidiar conta de luz de igrejas e frustra evangélicos
Bispo Edir Macedo, da Igreja Universal do Reio de Deus, com o presidente Jair Bolsonaro -oto: Ilustração

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta quarta-feira (15) que “está suspensa qualquer negociação” sobre a possibilidade de dar subsídio à conta de luz de templos religiosos de grande porte.

A decisão foi ratificada, de acordo com o presidente, depois de uma reunião nesta manhã com o missionário R.R. Soares, líder da Igreja Internacional da Graça de Deus, e o deputado Silas Câmara (Republicanos), um dos representantes da bancada evangélica no Congresso.

Ao deixar o Palácio do Alvorada na manhã de ontem (14), Bolsonaro havia reclamado das críticas que recebeu por querer dar subsídio às igrejas. “Estou apanhando e nem decidi ainda”, afirmou ele. “Não sei por que essa fama de dar pancada em mim o tempo todo. Eu assinei o decreto? Então, por que essa pancada?”.

Apesar de ter recuado, Bolsonaro defendeu a viabilidade da proposta e afirmou que “o impacto (financeiro) seria mínimo na ponta da linha”. Segundo o presidente, que é mais bem avaliado entre o eleitorado evangélico, o veto ao subsídio partiu da equipe econômica.

“O impacto seria mínimo na ponta da linha, mas a política da economia é não ter mais subsídio. Falei com eles (religiosos) que está suspensa qualquer negociação nesse sentido.”

Comente