- Publicidade -
Cultura

Banda formada por reeducandos encerra atividades de 2018 no Fórum Criminal de JP

O encerramento das atividades no Fórum Criminal da Comarca de João Pessoa, referente ao ano de 2018, ocorreu, na tarde dessa quarta-feira (19), com show da Banda RPG – Resgatados Pela Graça, formada por nove reeducandos do Presídio Geraldo Beltrão, desta Capital. A apresentação foi prestigiada pelo diretor do Fórum, juiz Adilson Fabrício, magistrados e servidores da unidade judiciária.

- Continua depois da publicidade -

O espetáculo contou, também, com grande público, formado por promotores de Justiça, advogados, e demais pessoas que, na hora do evento, transitavam pelo local. Os músicos estrearam no palco com um repertório eclético, indo do Gospel à Música Popular Brasileira, agradando a todos os gostos.

Foi a primeira apresentação da Banda RPG, formada dentro do Projeto de Educação Musical nas Unidades Prisionais. A iniciativa é resultado de parceria entre a Vara das Execuções Penais, que tem à frente os juízes Carlos Neves e Andréa Arcoverde; o Juizado Especial Criminal, com o juiz Hermance Gomes Pereira; e o Conselho da Comunidade de João Pessoa.

“Este projeto é pioneiro na Paraíba. Visa formar musicistas, cantores e operadores de som dentro da população carcerária, com os objetivos de resgatar a autoestima, ensinar uma profissão, praticar a disciplina necessária ao domínio de um instrumento musical”, informou o juiz Hermance Pereira.

De acordo com o magistrado, as aulas de música e execução instrumental são ministradas, semanalmente, pelo professor Alberto Tavares, nos presídios Geraldo Beltrão e Júlia Maranhão (feminino). O projeto conta, ainda, com o apoio da Direção das respectivas casas de detenção, que se responsabilizam pela estrutura da sala de aula, transporte e escolta dos reeducandos.

Comente

Redação Paraíba Já

Fundado em maio de 2010, o Paraíba Já é um portal de notícias sediado em João Pessoa (PB), que tem compromisso com a verdade, fazendo um jornalismo de qualidade e relevância social.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar