Aumenta em 112% motoristas dirigindo sob efeito de álcool em rodovias federais na PB

A Polícia Rodoviária Federal vem intensificando a fiscalização para coibir os casos de embriaguez ao volante. O resultado do reforço na fiscalização foi o aumento no flagrante de casos de motoristas dirigindo sob efeito de álcool nas rodovias federais que cortam a Paraíba. A combinação de bebidas alcoólicas e direção de veículos é uma das principais causas de acidentes de trânsito graves.

Apenas nos primeiros 45 dias deste ano já foram flagrados 212 motoristas dirigindo embriagados. Este número é 112% superior ao registrado no mesmo período do ano anterior, quando foram flagrados 100 motoristas. O número é muito alto e preocupa a PRF, principalmente com a proximidade do Carnaval, período festivo de grande ingestão de bebidas alcoólicas.

No último final de semana a PRF flagrou 20 motoristas dirigindo sob efeito de álcool nas rodovias paraibanas. A fiscalização para coibir a embriaguez ao volante faz parte das ações da PRF que antecedem a Operação Carnaval, que terá início na próxima sexta-feira (21). Em todo país foram flagrados 923 infrações por embriaguez ao volante.

Dirigir sob efeito de álcool é infração de trânsito prevista no Código de Trânsito Brasileiro. O motorista flagrado dirigindo após consumir bebidas alcoólicas é multado em R$ 2.934,70, podendo ter seu direito de dirigir suspenso por um ano. Quem se recusa a fazer o teste do bafômetro recebe as mesmas penalidades.
O condutor flagrado com índice superior a 0,33 miligrama de álcool por litro de ar expelido, além da infração de trânsito, será detido pelo crime de trânsito que prevê pena de seis meses a três anos de prisão, podendo responder em liberdade após o pagamento de fiança. O policial poderá realizar a detenção e conduzir para a polícia judiciária o motorista que estiver visivelmente embriagado, com os reflexos comprometidos e gerando perigo no trânsito mesmo que ele se recuse a se submeter ao teste de etilômetro.

Após o consumo de bebidas alcoólicas, o organismo reage primeiramente gerando um estado de euforia. Quando o motorista assume o volante neste estado, ele tende a ser mais afobado no trânsito, perdendo o medo e adotando condutas perigosas ao volante, como excesso de velocidade e manobras proibidas. Após a etapa de euforia, surge então a falta de coordenação motora e o sono, sendo ambas características muito perigosas para quem conduz um veículo automotor.

Apesar do alto risco de dirigir após beber, há quem acredite que existem algumas fórmulas capazes de driblar o bafômetro seguindo dicas encontradas na internet, como por exemplo a ingestão de vinagre, antisséptico bucal, chocolate ou medicamentos que aceleram o metabolismo. No entanto, nenhum produto interfere na precisão dos etilômetros, que são constantemente aferidos. A única forma segura de evitar problemas com a fiscalização é não dirigir sob efeito de álcool.

Comente